MPF denuncia 40 pessoas por envolvimento no mensalão

O procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, concluiu que o esquema do mensalão era operado por uma ?sofisticada organização criminosa? comandada pelo PT. Em denúncia enviada ontem ao Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador apontou o ex-ministro José Dirceu como ?o chefe do organograma delituoso? e três ex-dirigentes petistas ? José Genoino, Delúbio Soares e Sílvio Pereira ? como integrantes do ?núcleo principal da quadrilha?.Ao todo, foram denunciadas à Justiça 40 pessoas, entre políticos e empresários. Com 136 páginas, o texto de Souza é bem mais contundente para o PT do que o relatório final da CPI dos Correios contestado pelo partido. Entre os acusados, figuram o ex-ministro Luiz Gushiken, o deputado João Paulo Cunha (PT-SP) e o publicitário Duda Mendonça.Segundo a investigação do procurador-geral, o esquema do mensalão era uma organização criminosa dividida em três núcleos: o político-partidário, o publicitário e o financeiro. O núcleo político partidário (composto por José Dirceu, José Genoíno, Delúbio Soares e Silvio Pereira) pretendia garantir a permanência do Partido dos Trabalhadores no poder com a compra de suporte político de outros partidos e com o financiamento irregular de campanhas. Esse núcleo era o responsável por repassar as diretrizes de atuação para os outros dois núcleos. O procurador informou que denunciou ao Supremo também 12 deputados e ex-deputados envolvidos no esquema do mensalão: José Janene, Pedro Corrêa, Pedro Henry, Valdemar Costa Neto, Bispo Rodrigues, Roberto Jefferson, Romeu Queiroz, José Borba, Paulo Rocha, João Magno, Professor Luizinho e João Paulo Cunha, ex-presidente da Câmara. O documento com as denúncias foi entregue ao STF no dia 30 de março. Pouco antes, Antonio Fernando Souza havia recebido do presidente da CPI Mista dos Correios, senador Delcídio Amaral, e do relator-geral, deputado Osmar Serraglio, o texto do relatório final sobre os trabalhos de investigação dessa comissão a respeito do mensalão e do valerioduto. Esse relatório, aprovado na semana passada, pede o indiciamento da maioria das pessoas já denunciadas ao Supremo Tribunal pelo procurador-geral. Antonio Fernando de Souza confirmou ter denunciado ao STF também o empresário Marcos Valério e seus sócios, dirigentes do Banco Rural e o publicitário Duda Mendonça e sua sócia Zilmar Fernandes. "O ´mensalão´ foi uma denominação que se deu a um esquema de tráfico político de apoio", afirmou Antonio Fernando Souza. Do prédio do Ministério Público, Delcídio e Serraglio entregaram o relatório final da CPI também ao Tribunal de Contas da União (TCU) e à Polícia Federal, que deverão levar adiante as investigações sobre mensalão e o valerioduto.Veja a lista dos denunciados1) José Dirceu, ex-ministro chefe da Casa Civil e ex-deputado federal pelo PT de São Paulo, que teve seu mandato cassado por envolvimento no esquema do mensalão2) José Genoino, ex-presidente nacional do PT3) Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT4) Silvio Pereira, ex-secretário-geral do PT5) Marcos Valério Fernandes de Souza, acusado de ser o operador do mensalão e do caixa 2 do PT6) Ramon Hollerbach Cardoso, sócio de Marcos Valério7) Cristiano de Mello Paz, sócio de Marcos Valério8) Rogério Lanza Tolentino, sócio de Marcos Valério9) Simone Reis Lobo de Vasconcelos, diretora financeira da SMPB10) Geiza Dias dos Santos, funcionária da SMPB11) Kátia Rabello, presidente do Conselho do Banco Rural12) José Roberto Salgado, vice-presidente do Banco Rural13) Vinícius Samarane, diretor do Banco Rural 14) Ayanna Tenório Tôrres de Jesus, diretor do Banco Rural15) João Paulo Cunha, deputado federal pelo PT-SP e ex-presidente da Câmara acusado de envolvimento no mensalão, mas foi absolvido pelo plenário da Câmara 16) Luiz Gushiken, ex-ministro da Secretaria de Comunicação de Governo e Gestão Estratégica17) Henrique Pizzolato, ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil18) Pedro Corrêa, deputado federal cassado por envolvimento no mensalão e presidente nacional do PP19) José Janene, deputado federal PP-PR, que responde a processo por envolvimento no esquema do mensalão20) Pedro Henry, deputado federal pelo PP-MT, acusado de envolvimento no mensalão, mas foi absolvido pelo plenário da Câmara 21) João Cláudio Genu, assessor da liderança do PP22) Enivaldo Quadrado, sócio corretora Bônus-Banval 23) Breno Fischberg, ex-diretor da Bonus-Banval 24) Carlos Alberto Quaglia, sócio proprietário da empresa Natimar25) Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL e ex-deputado federal por São Paulo, que renunciou ao mandato para se livrar de processo de perda de mandato por envolvimento no mensalão 26)Jacinto Lamas, ex-tesoureiro do PL27) Antônio de Pádua de Souza Lamas, irmão de Jacinto Lamas e ex-assessor da liderança do PL na Câmara28) Carlos Alberto Rodrigues (bispo Rodrigues),ex-deputado federal (PL-RJ), que renunciou ao mandato para se livrar de processo de perda de mandato por envolvimento no mensalão 29) Roberto Jefferson, deputado deferal cassado, autor das denúncias da existência do mensalão30) Emerson Palmieri, tesoureiro informal do PTB31) Romeu Queiroz, deputado federal (PTB-MG), absolvido pelo plenário da Câmara da acusação de envolvimento no esquema do mensalão 32)José Borba, ex-deputado federal (PMDB-PR), que renunciou ao mandato para se livrar de processo de perda de mandato por envolvimento no mensalão 33) Paulo Rocha, (PT-PA), que renunciou ao mandato para se livrar de processo de perda de mandato por envolvimento no mensalão 34) Anita Leocádia Pereira da Costa, ex-assessora de Paulo Rocha. A CPI dos Correios rastreou que ela sacou R$ 420 mil 35) Professor Luizinho, deputado federal (PT-SP), absolvido pelo plenário da Câmara da acusação de envolvimento no esquema do mensalão36) João Magno, deputado federal (PT-MG), absolvido pelo plenário da Câmara da acusação de envolvimento no esquema do mensalão37) Anderson Adauto Pereira, ex-ministro dos Transportes38) José Luiz Alves 39) Duda Mendonça, publicitário responsável pela campanha de Lula à Presidência da República 40) Zilmar Fernandes Silveira, sócia de Duda Mendonça

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.