MPF cobra rigor na apuração de desvio de verba em AL

O Ministério Público Federal (MPF) divulgou nota à imprensa hoje sobre o desvio dos recursos da merenda escolar para compras de produtos de luxo em Alagoas. O MPF informou que requereu e obteve da 8ª Vara da Justiça Federal, em Arapiraca, os mandados de prisão e busca e apreensão, cumpridos pela Polícia Federal (PF), durante a Operação Mascoth", realizada hoje, em 13 municípios alagoanos, incluído a capital.

RICARDO RODRIGUES, Agência Estado

30 de março de 2011 | 20h46

Segundo o procurador da República José Godoy, a chamada operação é um desdobramento da "Operação Caeté", desencadeada no ano passado, após o MPF requisitar abertura de inquérito policial para apuração de suspeitas de fraudes em licitações para fornecimento de merenda escolar. "A atuação firme da PF e o apoio técnico indispensável da Controladoria Geral da União (CGU) e do Fisco estadual foram essenciais nessa fase inicial das investigações", afirmou Godoy.

Para o procurador da República, a apuração rigorosa é essencial para evitar que maus gestores escapem da responsabilização, sobretudo quando se trata de verba destinada à merenda escolar. "É inadmissível que as crianças, adolescentes e jovens, em inúmeros casos dependentes da merenda como única alimentação, tenham sua nutrição prejudicada por aqueles que tratam a coisa pública como sua propriedade", disse o integrante do MPF, que deve receber, nos próximos dias, o relatório do inquérito da PF.

Tudo o que sabemos sobre:
fraudemerendaAlagoas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.