MPE vai investigar denúncia contra PT gaúcho

O Ministério Público gaúcho deve instalar uma comissão exclusiva para analisar o relatório da CPI da Segurança Pública, que será votado na quarta-feira pelos parlamentares da comissão.O relator, deputado Vieira da Cunha (PDT), garante ter provas do envolvimento das autoridades estaduais com o jogo do bicho, mas caberá aos promotores a decisão sobre indiciamento dos acusados.De acordo com o subprocurador-geral de Justiça do Estado, Mauro Renner, o Ministério Público não se alinhará automaticamente às conclusões apresentadas pelos deputados. "O inquérito parlamentar vai dar novos subsídios, mas isso não significa que vamos nos vincular às definições jurídicas da CPI", afirmou. "Teremos um trabalho muito árduo de depuração, porque em muitos momentos houve inclinação política."Segundo o procurador, vários delegados que sustentam os boatos sobre o envolvimento das autoridades estaduais com o jogo do bicho foram denunciados por extorsão e proteção a bicheiros e estão sendo investigados. A CPI chegou a ouvi-los por duas vezes em alguns casos, mas não deverá apresentar nenhuma denúncia contra eles. "Vamos ter de aprofundar algumas investigações", disse.Um dos acusados pela CPI será o presidente do Clube de Seguros da Cidadania, Diógenes de Oliveira. Ex-assessor do governador Olívio Dutra, ele arrecadou doações para o PT em 1998 e pediu, após as eleições, que o então chefe de polícia, Luiz Fernando Tubino, não reprimisse os bicheiros. De acordo com o subprocurador-geral, o "carteiraço" constitui um comportamento "muito característico do tráfico de influência".Renner disse, também, que a utilização de algumas doações recebidas pelo clube para a compra da sede do PT é passível de questionamento legal. "Se for configurado um ardil e desvio de finalidade, é uma situação que poderá ser caracterizada como ilícito."Em seu depoimento à CPI, Diógenes argumentou que a entidade teria liberdade para aplicar as doações de empresas e que a incorporação de patrimônio era importante para a credibilidade da seguradora.A origem dos recursos do clube foi um dos principais pontos da investigação da CPI. Os parlamentares não encontraram provas de que a entidade tenha recebido dinheiro de bicheiros, mas identificaram várias contradições na contabilidade, como um empréstimo de R$ 80 mil que teria coberto as insuficiências de caixa. Um dos doadores chegou a revelar que um recibo em seu nome era falso.A bancada do PT na Assembléia Legislativa está preparando um relatório paralelo ao do relator. Os líderes do partido acusam Vieira da Cunha de parcialidade e de articular-se com delegados que fariam parte da chamada "banda podre" da polícia para desestabilizar o governo Olívio."Em nenhum momento, a CPI se esforçou para checar os indícios contra a banda podre e se associou a ela para atacar nosso governo", afirmou o líder do PT, deputado Elvino Bohn Gass.Ao pedido da oposição de uma nova CPI da Corrupção, para continuar investigando as denúncias contra o PT, os governistas vão contrapor a proposta de um inquérito parlamentar sobre o financiamento das campanhas eleitorais de todos os partidos."A executiva estadual do PT vai sugerir que todos os deputados coloquem seu sigilo à disposição da CPI", afirma o vice-presidente estadual do partido, Paulo Ferreira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.