MP-SP cumpre mandado de busca em prefeitura

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP), em conjunto com a Polícia Federal de Marília e a Polícia Militar, cumpriu ontem dez mandados de busca e apreensão nas cidades de Marília e Bauru. A operação foi resultado de investigações sobre atos de corrupção, concussão, lavagem de dinheiro e corrupção de testemunhas envolvendo um grupo encabeçado pelo ex-chefe de Gabinete da Prefeitura de Marília, Nelson Virgílio Grancieri.

EQUIPE AE, Agência Estado

25 de novembro de 2011 | 19h53

Os mandados de busca foram cumpridos no setor de Licitações e Finanças da Prefeitura de Marília, em empresas e na residência dos investigados. Foram apreendidos documentos, mídias e computadores. Os fatos estavam sendo investigados pela Promotoria de Justiça de Marília e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) há meses, o que já culminou no afastamento de Grancieri de seu cargo público.

O material recolhido na investigação aponta que houve suposta cobrança indevida por parte dos investigados a empresas que mantinham contratos com o poder público, como condição para que fossem liberados seus pagamentos. Além disso, há a suspeita de que houve uma série de expedientes utilizados para ocultar o patrimônio dos investigados, bem como evolução patrimonial incompatível com os rendimentos legalmente recebidos, além de coação a testemunhas ouvidas nos diversos processos que envolvem o grupo. A decretação da prisão temporária de quatro dos investigados foi solicitada, mas o Poder Judiciário não acatou o pedido.

Para o Ministério Público, há evidências de vazamento sobre a realização da investigação, o que prejudicou a efetividade das buscas e apreensões. A quebra do sigilo sobre a operação será investigada pelo MP-SP.

Tudo o que sabemos sobre:
MP-SPMaríliamandado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.