MP não beneficia planos de saúde, diz Serra

O ministro da Saúde, José Serra, negou hoje que a aprovação da medida provisória conhecida como "Lei dos Planos de Saúde", trará prejuízos ao consumidor. Segundo avaliação de associações médicas, Procon, OAB e IDEC, a lei seria um retrocesso e beneficiaria apenas os planos de saúde. O grupo pretende contestar a MP na justiça."Essa MP não é um retrocesso nem vai prejudicar o consumidor. Mas eles tem todo o direito de entrar na justiça. Não vejo problema nenhum e até é bom que o façam, assim a justiça julga", afirmou Serra. Sobre o argumento de que o Ministério estaria favorecendo as empresas de saúde, com a MP, Serra foi direto. "Não creio que estou ouvindo uma bobagem tão grande". O ministro participou hoje da assinatura de contratos para financiar projetos de restruturação financeira de dois hospitais. O valor total da verba é de R$ 1,6 milhão. Serão atendidas a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Santa Fé do Sul e o Hospital e Maternidade Don Antônio de Alvarenga/Clínica Infantil do Ipiranga, na Capital. O projeto é subsidiado com recursos do BNDES. O ministro Serra, um dos presidenciáveis do PSDB, se recusou a falar sobre política.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.