MP já considera viável intervenção na Assembléia de AL

O procurador-geral de Justiça de Alagoas, Coaracy Fonseca, afirmou haver elementos suficientes para que o desembargador presidente do Tribunal de Justiça do Estado ou o governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) encaminhem um pedido de intervenção federal na Assembléia Legislativa, onde 12 dos 27 deputados foram indiciados pelo desvio de R$ 280 milhões dos cofres do legislativo alagoano.Fonseca entrou hoje com agravo regimental para que os desembargadores da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Alagoas mantenham os deputados estaduais, indiciados pela Polícia Federal, afastados da Mesa Diretora da Assembléia. Segundo informações divulgadas no site do Ministério Público de Alagoas, o procurador-geral também deu entrada em pedido de exceção de suspeição do desembargador Juarez Marques Luz. Ambos os pedidos foram subscritos pelos promotores de Justiça do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) e da Fazenda Pública Estadual. Fonseca informou ainda que, até a próxima quarta-feira, deve encaminhar à Polícia Federal de Alagoas um pedido de suspensão dos portes de armas dos deputados estaduais indiciados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.