MP intima Maluf a depor sobre paraíso fiscal

O Ministério Público Estadual de São Paulo intimou o ex-prefeito Paulo Maluf (PPB) a depor no inquérito civil que investiga a suposta existência de contas bancárias, em nome dele e de familiares, no paraíso fiscal de Jersey (Canal da Mancha). A intimação - entregue a um advogado de Maluf - marca o depoimento para terça-feira, mas o ex-prefeito não poderá comparecer. A assessoria de Maluf informou que ele viajou para Paris e só deverá retornar no início de agosto, quando "estará, inteiramente, à disposição do Ministério Público".O advogado Ricardo Tosto, que cuida da defesa de Maluf, disse que o Ministério Público foi avisado sobre a viagem logo que houve a entrega da notificação, há cerca de dez dias. O ex-prefeito nega possuir ativos financeiros em Jersey. O promotor de Justiça da Cidadania, Sílvio Antônio Marques, que conduz o inquérito, insistirá no depoimento. Ele aguarda informações oficiais de autoridades daquele protetorado da Grã-Bretanha.O promotor encaminhou ofícios ao procurador-geral, W. J. Balhache, e ao chefe de Polícia de Jersey, Graham Power, pedindo dados sobre contas que estão bloqueadas administrativamente. Essas contas estão sob suspeita da Justiça de Jersey, que apura casos de lavagem de dinheiro. O Ministério Público requisitou a tradução de e-mails enviados de Jersey com detalhes sobre movimentação de contas.O material poderá ser usado para eventual proposta de ação civil com base na Lei da Improbidade - a prescrição da falta de probidade ocorre cinco anos após o término do mandato do administrador. A reportagem apurou que a Promotoria não descarta nenhuma possibilidade, até mesmo a de que possa ter ocorrido "eventual tentativa de denegrir a imagem do ex-prefeito".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.