MP Federal e Estadual se unem para investigar Maluf

O Ministério Público Federal vai trabalhar em conjunto com o Ministério Público Estadual nas investigações das supostas contas do ex-prefeito Paulo Maluf (PPB), de sua mulher Sylvia Lutfalla Maluf, e dos quatro filhos do casal (Flávio, Otávio, Lina e Lígia) e de uma das noras, Jacquelline, no paraíso fiscal das ilhas de Jersey, no Canal da Mancha.A decisão foi tomada hoje à tarde, durante reunião realizada em São Paulo entre os procuradores da República Pedro Barbosa Pereira Neto e Denise Abade com o procurador da Cidadania Silvio Antônio Marques.Pereira Neto e Denise vinham realizando investigações paralelas às do Ministério Público Estadual e também estavam na pista das contas de Maluf em paraísos fiscais, quando o Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e a Promotoria de Justiça da Cidadania descobriram a existência dos fundos em Jersey.Para Marques, a decisão de realizar os trabalhos em conjunto "vai permitir a troca imediata de informações entre os dois ministérios e a agilização das investigações?. Marques está analisando as 250 folhas de documentos da quebra de sigilo telefônico de Maluf e promete concluir esta semana um relatório parcial para entregar ao juiz-corregedor do Departamento de Inquéritos Policiais de São Paulo, Maurício Lemos Porto Alves.sigiloOs documentos com a quebra do sigilo Fiscal, Bancário e Telefônico de Paulo Maluf deverão ser anexados sem nenhuma investigação exaustiva no relatório final da CPI da Dívida Pública da Câmara Municipal. A presidente da CPI, vereadora Ana Martins (PCdoB), afirmou hoje que o relatório final já começou a ser elaborado, que ainda faltam vários depoimentos para serem colhidos e que o tempo que resta para a conclusão dos trabalhos é muito curto. A CPI encerra seus trabalhos no próximo dia 17 e, como já foi prorrogada uma vez, não poderá ser estendida novamente.A vereadora ainda não tem previsão da data em que os documentos da quebra de sigilo deverão chegar à CPI. Sequer os dados da quebra do sigilo telefônico de Maluf, que já estão em poder do Ministério Público Estadual, foram entregues aos vereadores.O juiz-corregedor Maurício Lemos Porto Alves, que determinou a quebra do sigilo, deverá despachar apenas amanhã o requerimento que autoriza o envio para a CPI das cópias dos documentos que estão com o Ministério Público, informou hoje a assessoria de imprensa do juiz. A vereadora acredita que papéis chegam à CPI no final desta semana.Os documentos da quebra do sigilo fiscal e bancário ainda podem demorar várias dias para serem entregues pela Receita Federal e pelo Banco Central, reconhecem vereadores da CPI. O autor do requerimento que pede prioridade para o pedido de instalação de uma CPI das Grandes Obras, o vereador Vicente Cândido (PT), disse que os documentos da quebra do sigilo só poderão ser investigados detalhadamente com a criação da nova CPI, que já tem adesão da maioria da bancada do PT e da própria vereadora Ana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.