"MP do Meirelles é casuísmo", afirma vice-líder do PT na Câmara

O vice-líder do PT na Câmara, Ivan Valente, criticou a medida provisória que dá status de ministro aos presidentes do Banco Central. A MP foi aprovada por 253 votos a 146, tendo recebido 28 votos contrários de deputados petistas, incluindo o de Valente. "Nós resolvemos votar contra a MP porque ela fere a ética do partido", justificou o deputado durante entrevista ao "Jornal da Cultura". "Nós estamos votando com a história e com os princípios do partido e, assim, nós não vemos nenhum motivo para punição."Ivan Valente explicou que não é contra o foro privilegiado em si, desde que a discussão seja feita por emenda constitucional, mas contra a forma como a proposta foi encaminhada ao Congresso. "O que nós não podemos é ter um casuísmo de editar uma medida provisória em cima da vida privada de um cidadão que está sendo acusado de sonegação fiscal e de evasão de divisas", esclareceu. "Isso é casuísmo e isso fere a ética e, por isso, a medida provisória foi tão contestada na bancada do Partido dos Trabalhadores."O deputado entende que os parlamentares do PT não devem agir com pragmatismo em problemas que envolvem questões éticas. "E não é verdade também que, uma vez não editada a MP do Meirelles, o mundo acaba", assegurou Ivan Valente. "O que existe é um terrorismo do mercado financeiro e o governo se submete a isso, porque o mercado fica nervoso se um presidente do BC é atingido por medidas", prosseguiu o parlamentar. "Diga-se de passagem, o presidente do BC era um dos que operavam a especulação financeira através do BankBoston."Ivan Valente aproveitou para criticar a política econômica do governo Lula, que ele classifica de monetarista. "O mercado certamente pressiona para manter condições para continuar o superávit primário, para continuar o pagamento dos juros da dívida religiosamente", ponderou ele. E concordou que o País vem atravessando um período de crescimento econômico, embora alerte que isso pode ter duração curta. "Mantendo esta política econômica e o monetarismo dela, eu entendo que ele não é sustentável. Eu acho que ele tem um vôo curto."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.