MP de Alagoas abre processo para investigar Mafrial

O Ministério Público de Alagoas decidiu abrir processo criminal para apurar irregularidades no Matadouro Frigorífico de Alagoas (Mafrial), que teria sido usado para fornecer notas fiscais frias e comprovar o comércio de gado realizado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). A decisão foi publicada hoje no Diário Oficial do Estado.A direção do Mafrial é acusada de irregularidades na comercialização de animais para abate e venda. O frigorífico não teria autorização para compra de gado, apenas para abate, estoque e distribuição da carne. No entanto, vários pontos de vendas de carne são apontados como propriedade da diretora do Mafrial, Zoraide Beltrão. O MP estadual investiga também denúncia de utilização por parte do Mafrial de empresas de "fachada" em total desacordo com a legislação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.