MP confirma denúncia contra Garotinho e mais 15 no Rio

O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro confirmou hoje que ofereceu denúncia ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) contra uma suposta organização criminosa, que usou a estrutura da Polícia Civil do Rio de Janeiro para praticar lavagem de dinheiro, facilitação de contrabando e corrupção. Fariam parte do grupo e estão entre os denunciados pelo MPF o ex-governador do Rio Anthony Garotinho e o deputado estadual Álvaro Lins (PMDB).A partir de mandados obtidos pela Procuradoria Regional da República no TRF, a Polícia Federal (PF) deflagrou hoje a Operação Segurança Pública S/A, que já resultou na prisão de Álvaro Lins. Os procuradores regionais da República Maurício da Rocha Ribeiro, Cristina Schwansee Romanó e Paulo Fernando Corrêa denunciaram, no total, 16 pessoas.O deputado estadual e ex-chefe da Polícia Civil Álvaro Lins foi denunciado pelos crimes de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha armada, facilitação de contrabando e corrupção passiva. O ex-governador e ex-secretário de segurança pública Anthony Garotinho responderá por formação de quadrilha armada.A Operação Segurança Pública S/A decorre da continuação de apurações das Operações Gladiador e Hurricane, desencadeadas pelo MPF e pela PF, da quebra de sigilo fiscal de Álvaro Lins e de investigações posteriores de documentos colhidos pela PF. A quadrilha é acusada de ser responsável pelos crimes de facilitação de contrabando, por não reprimir a atividade de exploração de máquinas caça-níqueis, e de corrupção ativa e passiva, relacionados diretamente com as atividades de delegacias de polícia estratégicas.O ex-governador Anthony Garotinho foi denunciado pelo fato de garantir politicamente a manutenção do grupo de Álvaro Lins à frente da Polícia Civil. A investigação ainda apontou vários crimes de lavagem de dinheiro nos quais Álvaro Lins é acusado de se valer de familiares e outras pessoas para ocultar a origem do patrimônio obtido criminosamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.