MP apura superfaturamento em mapa do Pará

O promotor dos Direitos Constitucionais e do Patrimônio Público, João Gualberto Santos Silva, começou a apurar denúncia de superfaturamento na confecção de material didático para escolas do Pará, onde aparece impressa, no mapa do Estado, a fotografia do governador Almir Gabriel. A impressão do material com os mapas foi feita pela gráfica Promev, contratada pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc) sem qualquer licitação. O preço de cada kit escolar seria dez vezes superior ao de mercado. A Seduc pagou pelo kit R$ 1,7 milhão, alegando ter dispensado a exigência de licitação em virtude de se tratar de tabalho de natureza intelectual. O promotor notificou os envolvidos, inclusive o denunciante, o presidente do Sindicato dos Gráficos, Carlos Jorge Lima, que se diz ameaçado de morte. Todos os notificados pelo promotor começam a prestar depoimento no caso na próxima semana. A secretária de Educação, Isabel Amazonas, e seu chefe, o secretário Especial de Promoção Social, Nilson Pinto, se recusam a falar sobre a denúncia. Eles dizem que só irão se manifestar quando receberem intimação judicial. O promotor estaria sofrendo pressão no Ministério Público para abandonar o caso, mas não foi localizado para comentar a informação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.