MP acusa governador do Ceará de nepotismo

Os promotores de justiça Romério Landim e Carmelita Sales, do Ministério Público do Estado do Ceará entraram nesta quinta-feira, na 6ª Vara da Fazenda Pública, com uma Ação Civil Pública (ACP) contra o governador Cid Gomes (PSB) e seu irmão, Ivo Gomes, sob o argumento de que a nomeação de Ivo para o cargo de chefe de gabinete no governo cearense configura prática de nepotismo. A ação pede o afastamento imediato da chefia de gabinete, por meio de liminar judicial, e a declaração de nulidade do ato de nomeação. No caso do juiz deferir liminar, Ivo Gomes terá de se afastar do cargo e voltar a assumir seu mandato no poder legislativo como deputado estadual enquanto aguarda o julgamento do processo. O MP também exigirá da presidência da Assembléia Legislativa cearense e dos presidentes dos tribunais de Contas do Estado (TCE) e dos Municípios (TCM) -, por meio de uma requisição, informações num prazo de 15 dias sobre a existência de nomeação de parentes no corpo de funcionários dessas instituições, sob pena dos órgãos incidirem em crime previsto no artigo 10 da lei de Improbidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.