MP abrirá cinco novas ações contra Maluf

O Ministério Público Estadual vai abrir pelo menos cinco novas ações para investigar as denúncias de superfaturamento e desvio de dinheiro nas obras das avenidas Água Espraiada e Jacu Pêssego, no túnel de Pinheiro e do bulevar da Avenida Juscelino Kubistchek, realizadas durante as gestões dos ex-prefeitos Paulo Maluf (PPB) e Celso Pitta (PPB). O anúncio foi feito pelo promotor da Cidadania, Nilo Salgado Spínola Filho, que recebeu a incumbência de analisar as mais de 110 mil folhas de documentos da CPI do Tribunal de Contas do Município (TCM), entregues no início da tarde ao procurador Geral da Justiça do Estado, José Geraldo Brito Filomeno. "Já acompanhávamos as investigações da CPI e há indícios de irregularidades nessas obras", afirmou. De acordo com ele, novas ações podem ser abertas a partir da análise mais detalhada dos documentos. Entre os papéis, estão anexadas planilhas de serviços, como o de empresas de lixo, que também apontam irregularidades, segundo o relator da CPI, Vicente Cândido (PT), mas que não chegaram a ser investigadas. "Esse não era o objeto da CPI e não podíamos nos desviar", afirmou o presidente da comissão, vereador Gilson Barreto (PSDB). Entre as planilhas das empresas de lixo, de acordo com Cândido, encontram-se serviços feitos por equipamentos automáticos de varrição, que teriam sido realizados em ruas de terra, em vários bairros da cidade. O Ministério Público informou que vai investigar também as denúncias de irregularidades dentro do TCM, apontadas no relatório final da CPI, entre elas as aprovações das contas de Maluf, apesar de todas as irregularidades verificadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.