Movimentos sociais organizam protesto durante visita de Bush

A Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS) está organizando um grande protesto no dia 8 de março, na Avenida Paulista, em São Paulo, contra os Estados Unidos, durante a visita do presidente dos EUA, George W. Bush, ao Brasil. A coordenação pretende protestar também em todas as cidades onde se estiver comemorando o Dia Internacional das Mulheres. A agenda do presidente norte-americano não é divulgada detalhadamente, por motivos de segurança, e não se sabe ao certo se ele chega ao Brasil no dia 8 ou no dia 9. O representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT) na CMS, Antônio Carlos Spis, disse que militantes das 32 entidades que compõe a coordenação irão "perseguir" Bush assim que ele desembarcar no País, o que deve acontecer no Aeroporto Internacional de Guarulhos. "No Fórum Social Mundial do Quênia, as mil mesas de trabalho foram unânimes contra a guerra do Iraque e as intervenções americanas em outros países. Vamos colocar faixas de protesto onde soubermos que ele estiver. Somos contra a política econômica, o imperialismo e o intervencionismo norte-americano", disse ele, que esteve nesta sexta-feira no Rio para participar de ato de apoio a estudantes da UNE, que ocupam desde o início do mês o terreno que pertencia a entidade e hoje é um estacionamento irregular. Segundo Spis, na segunda-feira a CMS deve finalizar o documento que será impresso em panfletos e distribuído para divulgar o protesto. A CMS reúne 32 entidades como a CUT, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), União Nacional dos Estudantes (UNE), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação Brasileira de Imprensa (ABI), entre outros. O presidente da UNE, Gustavo Petta, disse que a manifestação no Rio deve ser em frente do terreno que os cerca de cem estudantes ocupam, na Praia do Flamengo, na zona sul do Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.