Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Movimentos sociais convocam novo panelaço com mote 'Acabou Bolsonaro'

Na última quarta-feira, 18, presidente foi alvo de protestos em pelo menos 22 capitais

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2020 | 19h20

Com a palavra de ordem "Acabou Bolsonaro" as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, formadas por centenas de movimentos sociais, sindicais e partidos de esquerda, estão convocando novo panelaço em protesto contra o presidente Jair Bolsonaro para sábado, 21, às 20h.

Segundo representantes das frentes, a ideia é aproveitar o embalo dos panelaços de terça-feira, 17, e quarta-feira, 18, para manter acesas as manifestações contra o presidente

Ao contrário do último protesto, quando a maioria dos movimentos tinha dúvidas quanto a pedir explicitamente a saída do presidente do cargo diante de considerarem incapacidade de Bolsonaro de liderar o país diante da crise causada pelo novo coronavírus, agora, as centrais pedem a saída do presidente.

"Avaliamos que a situação está se agravando. Ele está perdendo toda a condição que ele já não tinha de liderar o país e governar. Mais gente está percebendo o oportunismo e a irresponsabilidade diante de uma crise de larga escala que deve durar quatro meses. Achamos que estão amadurecendo as condições para que ele não permaneça", disse o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) Guilherme Boulos, da Frente Povo Sem Medo.

Na quarta-feira, 18, o presidente enfrentou protestos em ao menos 22 capitais. Um dos gritos mais ouvidos foi "Fora Bolsonaro". No mesmo dia Bolsonaro convocou panelaços a seu favor. As manifestações em apoio ao governo ocorreram, mas em menor número e intensidade do que as de oposição. 

Segundo Raimundo Bonfim, da Central de Movimentos Populares (CMP, entidade que já pedia a saída do presidente ) e da Frente Brasil Popular, o #acaboubolsonaro é resultado da avaliação dos movimentos sobre os protestos de quarta-feira, feitos de forma espontânea.  "Alguns setores foram empurrados pelas ruas", disse ele. "É um avanço mas ainda não e o 'Fora Bolsonaro."

De acordo com ele, as frentes estudam convocar novos protestos no dia 31 de março, aniversário do golpe militar de 1964, mesma data em que apoiadores do presidente marcaram uma manifestação. 

A hashtag (palavra chave) #acaboubolsonaro é inspirada na declaração feita por um imigrante haitiano ao próprio presidente na frente do Palácio da Alvorada, na segunda-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.