Movimento negro entrega abaixo-assinado a Chinaglia

Um encontro entre representantes do Fórum São Paulo da Igualdade Racial e o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, ontem em Brasília, terminou em bate-boca. Os integrantes do fórum tinham ido até Chinaglia para entregar um documento com 100 mil assinaturas, pedindo urgência na votação dos projetos do Estatuto da Igualdade Racial e das cotas para negros nas universidades públicas do País. O primeiro tramita há 12 anos no Congresso; o segundo foi apresentado em 1998.Logo no início do encontro, na sala de reuniões da presidência, os militantes do fórum começaram a gritar palavras de ordem, como "cotas já" - o que causou irritação em Chinaglia. Ele disse que estavam começando mal, pois na Câmara, "que é uma casa de negociações", aquele tipo de manifestação não era permitido. Criou-se um mal-estar e houve um princípio de bate-boca. Para Dogival Vieira, da coordenação do fórum, Chinaglia foi "grosseiro, desrespeitoso e truculento".Segundo a assessoria do presidente da Casa, os militantes já tinham causado problemas, por chegarem com mais de uma hora de atraso ao encontro, e desrespeitaram normas internas, que proíbem manifestações como aquela.O documento foi entregue ainda à presidente do Supremo Tribunal Federal, Ellen Gracie; a Renan Calheiros, presidente do Senado; e à ministra Matilde Ribeiro, da Promoção da Igualdade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.