Movimento faz campanha por veto a embargos infringentes no mensalão

Em carta aberta, grupo que atua no combate à corrupção pede para ministros rejeitarem recursos que podem levar a novo julgamento 12 dos 25 condenados

O Estado de S. Paulo

12 de setembro de 2013 | 10h53

O Movimento 31 de Julho, grupo criado no Rio de Janeiro e que atua na internet no combate à corrupção, publicou carta aberta em que pede a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para rejeitarem os embargos infringentes. Se a maioria da Corte acatar os recursos, 12 dos 25 condenados pelo mensalão terão direito a novo julgamento.

 

O post publicado no site do movimento direciona o pedido aos ministros Celso de Mello e Cármen Lúcia, dois dos cinco integrantes da Corte que ainda não votaram. A sessão será retomada nesta quinta e o placar parcial está em 4 votos a 2 em favor dos embargos. "Não nos restou alternativa senão pedirmos socorro diante da ameaça iminente, quase consumada, de sepultamento do resto de esperança de toda uma nação", diz o texto.

 

O entendimento sobre a admissão dos infringentes divide a Corte por serem recursos não mais previstos no Código do Processo Penal, mas ainda constarem no regimento interno do STF. Em entrevista à Rádio Estadão nesta manhã, o ministro Marco Aurélio Mello disse acreditar que o Supremo se decida pela aprovação dos recursos.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.