Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Mourão chama de 'paroquial' confronto com Olavo de Carvalho

Em evento em Minas Gerais, vice-presidente disse que prefere abordar assuntos mais importantes do que 'discussão paroquial'

Leonardo Augusto, especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2019 | 13h03
Atualizado 09 de maio de 2019 | 16h02

BRASÍLIA - O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, chamou de "paroquial" o confronto com o ideólogo de direita, Olavo de Carvalho, e disse que o assunto é "página virada". Mourão fez palestra a empresários nesta quinta-feira, 9, em Belo Horizonte, e disse que a nova Previdência é a saída para que "os jovens não tenham que trabalhar até o último dia em que estiverem na Terra".

O embate entre Olavo de Carvalho e a ala de militar do governo de Jair Bolsonaro teve um dos últimos episódios quando Mourão afirmou, em abril, que o rival deveria se ater à função de astrólogo. A resposta foi a um vídeo de Carvalho criticando escolas geridas pelas Forças Armadas. "Essa questão do Olavo o presidente já colocou muito claro. É página virada. Essas questões que coloquei aqui para vocês são muito mais importantes do que essa discussão paroquial", disse Mourão. 

Mourão defendeu ainda a aprovação da reforma da Previdência para estimular o crescimento econômico do País. "O País está patinando e temos por dever e obrigação reunir todos os esforços para reverter essa situação", disse. "A nova Previdência é uma responsabilidade de nós mais velhos com para a juventude no Brasil tenha futuro."

O general Hamilton Mourão fez aos empresários a palestra "Conjuntura e Perspectivas Político-Econômicas do Brasil", no teatro da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). A imprensa foi impedida de acompanhar a palestra. Um forte esquema de segurança foi armado, com muitos seguranças e longa revista.

O general disse que o Brasil precisa voltar a crescer. "Nós temos por dever e obrigação todos os esforços para que consigamos reverter essa espiral de descendente que tem sido vivida, retomando o caminho de crescimento sustentável, não aquele do voo da galinha, e, principalmente, para que se reverta o quadro de desemprego que afeta a imensa maioria do povo brasileiro, principalmente os nossos jovens".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.