Rodrigo Silviano / Estadão
Rodrigo Silviano / Estadão

Mourão aproveita reabertura de shoppings em Brasília e faz compras ao lado da mulher

Casal comprou roupas, maquiagens, chocolate e também passeou por uma livraria

Camilla Turtelli e Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2020 | 19h12

BRASÍLIA - Com a reabertura de comércios pelo País, mesmo com o avanço da covid-19, que já levou a 27.878 mortes desde o início da pandemia, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, aproveitou o primeiro fim de semana de retomada do funcionamento dos shoppings do Distrito Federal para um passeio. 

Um decreto do governador Ibaneis Rocha (MDB) liberou a abertura dos shoppings desde quarta-feira, 27. Para funcionar, os estabelecimentos precisam fornecer equipamento de proteção individual e álcool em gel a empregados, colaboradores, terceirizados e prestadores de serviço. Funcionários são obrigados a realizar testes a cada 15 dias e o funcionamento foi limitado a 50% da capacidade, para evitar aglomeração.

Com isso, Mourão circulou por um dos shoppings de Brasília de lojas de luxo, acompanhado da mulher, Paula Mourão, ambos de máscaras e acompanhados de seguranças. O casal foi abordado por algumas pessoas e posou para fotos com crianças. Eles fizeram compras de roupas, maquiagens, chocolate e também passearam por uma livraria. 

Como o Estadão revelou esta semana, o governo federal abriu uma licitação para a compra de uma esteira de última geração, no valor de R$ 44 mil para Mourão manter os exercícios em dia no Palácio do Jaburu. O aparelho vem com programas pré-configurados de exercício físico, tela touch screen de alta definição, internet, TV e “cursos interativos”. Depois que a aquisição foi revelada, Mourão argumentou que o aparelho é de “excelente nível”. 

Mais cedo, quem também aproveitou o fim de semana para passear foi o presidente Jair Bolsonaro. Ele, por sua vez, mais uma vez provocou aglomeração de pessoas durante a pandemia e demandou o uso de helicópteros para visitar cidades em Goiás, a menos de 250 quilômetros de distância do Palácio da Alvorada, sua residência oficial em Brasília. 

Bolsonaro foi a uma lanchonete em Abadiânia para tomar café da manhã. A presença do presidente provocou aglomerações, apesar das recomendações de autoridades sanitárias para a necessidade do isolamento social como medida de contenção ao avanço do novo coronavírus no País.

Bolsonaro carregava consigo uma máscara, mas não a utilizou enquanto trocava apertos de mão e posava para fotos com populares. O presidente ainda pegou uma criança no colo e conversou com pessoas também sem utilizar a máscara. O chefe do Executivo estava acompanhado do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e do líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO).

Afrouxamento. Diversos Estados já afrouxaram regras de isolamento social e funcionamento de comércios, apesar do avanço da doença. No Distrito Federal, além dos shoppings, o governador decretou hoje a retomada do funcionamento de igrejas e parques, condicionado a regras sanitárias e de isolamento social. Ele alega que a situação no DF está mais controlada e que há folga no sistema de saúde. 

Em São Paulo, o governador João Doria (PSDB) anunciou na quarta-feira, 27, o plano de flexibilização da quarentena prevendo que algumas cidades, incluindo a capital, podem reabrir com restrições o comércio de rua, shoppings centers, concessionárias, imobiliárias e escritórios.

Em Goiás, onde Bolsonaro esteve nesta manhã, no entanto, não houve qualquer anúncio de flexibilização por parte do governador Ronaldo Caiado (DEM), embora algumas prefeituras goianas estejam reabrindo seus comércios.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.