Motorista da Skymaster confirma saques

O motorista da Skymaster Éder Jouber Ribeiro Cabo Verde, confirmou hoje, em depoimento à Sub-relatoria de Contratos da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito dos Correios, ter sacado na boca do caixa, "por aproximadamente 50 vezes", dinheiro em nome da empresa. Segundo informações da Agência Senado, Éder disse ter obedecido ordens do encarregado do Departamento Financeiro da Skymaster, de Reginaldo Reges Menezes Fernandes para sacar o dinheiro, mas que desconhecia o valor total dos saques. Ele contou também que assinava como sacador, recebia o dinheiro, e o repassava diretamente para Reginaldo, mas não soube revelar o destino do dinheiro.Já Reginaldo Fernandes, que também depôs hoje na Sub-relatoria da CPI, afirmou que os saques destinavam-se a pagamentos de funcionários e fornecedores. O dinheiro, segundo ele, era sempre entregue a João Marcos Pozzetti, diretor-financeiro da Skymaster, empresa responsável pelo transporte aéreo noturno dos Correios.O sub-relator de Contratos da CPI, deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP), informou que, com base na quebra de sigilo bancário da Skymaster, no período de 24 de setembro de 2002 até 26 de abril de 2005, Éder Jouber sacou R$ 3,8 milhões, ou seja, uma média de R$ 1 milhão por ano. Cardozo informou ainda, segundo a Agência Senado, que os saques foram efetuados, em sua grande maioria, em uma das agências do Banco Real com sede na cidade de Manaus (AM) e que o Bradesco também aparece nas operações por três vezes. O deputado disse que vai solicitar ao Banco Central uma completa fiscalização das operações e pedirá à Polícia Federal providências para encontrar os gerentes dos bancos Real e Bradesco que autorizaram os saques, para que deponham na CPI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.