Mortes com suspeita de meningite deixam MG em alerta

A morte de dois adolescentes com suspeita de meningite meningogócica deixou em alerta as autoridades sanitárias de Minas Gerais. Os jovens mortos moravam na cidade de Manhuaçu, a 278 quilômetros de Belo Horizonte, na região Leste do Estado. Segundo informações do Hospital César Leite, em Manhuaçu, o estudante Reginaldo Carvalho da Costa, 13 anos, foi hospitalizado às 12h30 da última quinta-feira e faleceu meia hora depois. Apresentando o mesmo quadro clínico, Maurício Alves Pereira, 16 anos, deu entrada mais tarde e morreu cerca de cinco horas depois.Outros dois jovens estão internados, em estado grave, com suspeita da doença. Eles moram na mesma localidade dos estudantes que faleceram, no Córrego São João do Capim, distrito de Santana do Manhuaçu. A Secretaria Estadual de Saúde informou que estão sendo realizados exames laboratoriais na Fundação Ezequiel Dias (Funed) para a comprovação da causa da morte. Os familiares dos estudantes e as pessoas que tiveram contato com eles estão sendo submetidos a um tratamento de quimioprofilaxia, uma espécie de imunização contra a doença. De acordo com a secretaria, a meningite meningogócica - inflamação das meninges, membranas que envolvem e protegem o cérebro -, tem rápida evolução e o contágio se dá pelo contato com a pessoa infectada. Os principais sintomas são febre alta, dores de cabeça, rigidez na nuca, náuseas e vômitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.