Morte de Marchezan obriga PSDB a refazer planos

O velório do deputado federal Nelson Marchezan (PSDB-RS), no salão nobre da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, nesta terça-feira, reuniu líderes nacionais e locais do PSDB, PMDB e PPB, que reduziram as negociações da campanha política para exaltar as qualidades do parlamentar, vitimado por uma parada cardíaca na tarde desta segunda-feira.O candidato do PSDB à presidência, José Serra, chegou pouco depois das 15 horas e retirou-se às 16h30min, antes do enterro no cemitério João 23. Disse que Marchezan tinha vitalidade e entusiasmo para se preocupar ao mesmo tempo com as grandes questões nacionais e os problemas locais de suas bases eleitorais.?Condição de pai vai falar mais alto?Serra recusou-se a falar sobre a iniciativa do senador José Sarney (PMDB-AP), que vai buscar apoio de líderes do PMDB à candidatura de sua filha Roseana Sarney, governadora do Maranhão. O presidente nacional do PMDB, Michel Temer, considerou natural a atitude de Sarney. ?A condição de pai vai falar mais alto que a de filiado ao nosso partido?, lamentou.Temer confirmou que, apesar do assédio do PSDB e, agora, do PFL, interessados em alianças eleitorais, o PMDB vai às prévias no dia 17 de março para lançar candidatura própria à presidência da República.Além de lamentar a perda de Marchezan, a quem considerou ?uma referência no Rio Grande do Sul?, o presidente nacional do PSDB, José Aníbal reiterou que, depois da pré-convenção partidária do próximo dia 24, o partido vai expor mais seu candidato, José Serra, ?a todos os públicos do País?.O planejamento de mídia da campanha já está feito, e o fio condutor será mostrado em rede nacional de rádio e televisão no dia 6 de março. O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Artur Virgílio, representou o presidente Fernando Henrique Cardoso na cerimônia fúnebre e destacou que Marchezan foi um adversário que se apaixonou pela causa social-democrata.PSDB vai refazer planos no RSOs tucanos gaúchos terão que refazer todos os seus planos. Marchezan coordenava a campanha local do PSDB e começava a negociar acordos com outros partidos para ampliar a base de apoio a Serra no Estado. O PSDB tem diretórios em apenas 200 dos 497 municípios gaúchos.?Nós já percebemos o tamanho da perda?, avaliou a deputada federal Yeda Crusius, que disputa com o ex-vice-governador Vicente Bogo a candidatura do PSDB ao governo do Estado. ?Mas não temos condições de saber agora como faremos para levar adiante o trabalho de Marchezan.?Nos próximos dias, o vice-presidente regional do partido, Carlos Albuquerque, vai convocar uma reunião para definir como o PSDB gaúcho vai redistribuir as tarefas da campanha eleitoral de 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.