Morte de Frei Tito completa 40 anos neste fim de semana

Mártir da ditadura será relembrado com missas, palestras e testemunhos de historiadores teólogos que conviveram com ele no período da ditadura

José Maria Mayrink , O Estado de S. Paulo

08 de agosto de 2014 | 00h01

Os amigos e parentes de Frei Tito de Alencar Lima lembram, neste fim de semana, em São Paulo,os 40 anos de seu martírio, com missa, palestras e testemunhos de historiadores e teólogos que conviveram com ele no período da ditadura. A missa será celebrada, às 19 horas de sexta-feira, por d. Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau (SC), na Igreja de São Domingos, na rua Caiubi, 164, anexa ao Convento das Perdizes, onde Frei Tito e outros frades foram presos, em 1969, na véspera da morte de Carlos Marighella.

No sábado, a programação começará às 9h30, no Colégio Rainha da Paz, na rua Dona Elisa de Moraes Mendes, 39, Alto de Pinheiros. O professor de literatura Alfredo Bosi, da Universidade de São Paulo (USP), falará na abertura sobre a importância de se recordar Frei Tito hoje. Em seguida, o economista João Pedro Stédile, da direção do MST e da Via Campesina, dividirá com o padre e teólogo José Oscar Beozzo o tema Sentido Histórico da Ditadura civil-militar no Brasil e o papel da Igreja na Resistência Armada.

Depois do almoço, a educadora Mariana Pasqual Marques e o sociólogo Ivo Lesbaupin falarão sobre Educação Popular como Caminho para a Libertação. Lesbaupin, que na época era estudante dominicano, foi preso no episódio da morte de Marighella. Às 15 horas, Frei Betto, frade e escritor que também foi preso e descreveu as torturas sofridas por Frei Tito em seu livro Batismo de Sangue (Editora Rocco), lembrará o Levante Popular da Juventude, dentro de um debate sobre Socialismo e Lutas Contemporâneas.

A comemoração terminará, às 19 horas, com a Mística de Encerramento. Parentes do frade dominicano, na maioria sobrinhos, virão do Ceará, para participar da Celebração pela Vida e Ressurreição de Frei Tito de Alencar Lima. Conforme disse Frei Beto, o objetivo da iniciativa é lembrar o martírio de Frei Tito para que não haja mais ditadura e torturas no Brasil. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo sitio www.freititovive.wordpress.com.

Mais conteúdo sobre:
DitaduraFrei Tito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.