Morre secretário de Recursos Humanos do governo federal

Duvanier Paiva Ferreira era responsável por negociar reajuste salarial com servidores federais; categoria já faz ameaça de greve para pressionar aumento

Rosana de Cássia e Anne Warth, da Agência Estado

19 de janeiro de 2012 | 12h21

Atualizado às 14h24

BRASÍLIA - Morreu na madrugada desta quinta-feira, 19, o secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva Ferreira. O secretário era o responsável por negociar o reajuste salarial com servidores federais. Ele morreu de enferte filminante no miocárdio e será enterrado nesta tarde no Cemitério de Congonhas.

Em nota, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, lamentou a morte. "Defensor incansável da democratização nas relações de trabalho, promotor do diálogo e profissional dedicado, Duvanier foi um brasileiro que lutou ao longo da vida pela consolidação da democracia no Brasil", diz a nota. Duvanier faria 57 anos em fevereiro e estava no cargo desde 2007.

O presidente do Sindicato dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (Sindireceita), Pedro Delarue, lamentou a morte de Duvanier e atribuiu a ele o estabelecimento de um canal de interlocução com o governo. "Ao longo dos últimos cinco anos Duvanier Paiva atuou como negociador do governo, mas, mais do que isso, foi incansável na construção do diálogo entre o Poder Executivo e os servidores públicos federais", afirmou, em nota.

O presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia Federal no Estado de São Paulo, Amaury Portugal, também lamentou a morte, mas disse que o governo não pode parar. "Esperamos agora negociar nossas demandas com a secretária", afirmou.

A secretária adjunta Marcela Tapajós e Silva assume, interinamente, as funções de negociar as demandas do funcionalismo público sobre reajustes salariais. A categoria já faz ameaças de greve geral caso o governo não sinalize a possibilidade de dar aumento até março.

Mais conteúdo sobre:
morteservidorPlanejamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.