Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Morre o ex-ministro da Justiça e ex-presidente do STF Paulo Brossard

Jurista tinha 90 anos e morava em Porto Alegre; problemas de saúde se agravaram, após ele sofrer uma queda no ano passado

Lucas Azevedo, CORRESPONDENTE, O Estado de S. Paulo

12 Abril 2015 | 11h54

O ministro aposentado e ex-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Paulo Brossard morreu na manhã deste domingo, em casa, em Porto Alegre. Aos 90 anos, o ex-senador e deputado gaúcho enfrentava problemas de saúde que se agravaram em fevereiro.  Em outubro de 2014, Brossard sofreu uma queda, o que o fragilizou.  

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, decretou três dias de luto no Estado. O velório ocorrerá no Palácio Piratini, sede do governo gaúcho. 

Paulo Brossard de Souza Pinto nasceu em 23 de outubro de 1924, em Bagé, no interior do RS. Em 1947, se formou em Direito, em Porto Alegre. Em 1954, foi eleito deputado estadual pelo PL (Partido Libertador), reeleito outras duas vezes. Foi também Secretário do Interior e Justiça do RS em 1964. 

Em 1966, foi eleito deputado federal pelo MDB (Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Em 1974, foi eleito senador pelo RS. Quatro anos depois, foi candidato pelo partido a Vice-Presidente da República na chapa de Euler Bentes.  

Em 1985,  foi indicado pelo então Presidente José Sarney ao cargo de Consultor-Geral da República. Posteriormente, foi nomeado Ministro da Justiça. Em 1989, foi nomeado Ministro do Supremo, e em 1992, assumiu a presidência do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), se aposentando em 1994.  

Brossard era casado com Lúcia Alves Brossard de Souza Pinto e deixa três filhos: Magda Brossard Iolovitch, Rita Brossard de Souza Pinto e Francisco Brossard de Souza Pinto. 

Mais conteúdo sobre:
Paulo Brossardmorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.