Celso Junior/Agência Estado
Celso Junior/Agência Estado

Morre o ex-deputado federal Luiz Carlos Sigmaringa Seixas

Ex-parlamentar que integrou o MDB, o PSDB e o PT lutava contra um câncer em São Paulo

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

25 de dezembro de 2018 | 14h26

O advogado e ex-deputado federal Luiz Carlos Sigmaringa Seixas morreu na manhã desta terça-feira, 25, aos 74 anos, em São Paulo. Seixas sofria de câncer e fez um transplante de medula no Hospital Sírio Libanês. Formado em Direito pela Universidade Federal Fluminense (UFF), foi deputado pelo Distrito Federal entre 1987 e 1995 e entre 2003 e 2007.

Antes, se notabilizou pela defesa de estudantes da Universidade de Brasília (UnB) que protestavam contra a ditadura militar e atuou em prol de sindicalistas no período militar (1964-1985). Ele fez parte do MDB, do PSDB e, depois, do PT. O velório do ex-parlamentar será em Brasília na quarta-feira, 26, a partir das 8h no Cemitério Campo da Esperança. O enterro será às 16h. 

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Dias Toffoli lamentou a morte de Sigmaringa Seixas em um comunicado. Para Toffoli, o ex-parlamentar deixou sua marca como "homem público, deputado constituinte e advogado primoroso". "Sigmaringa Seixas tinha compromisso com a Justiça e o bem-estar social. Sempre pronto a lutar pelos Direitos Humanos, pela Democracia e pela Liberdade em nosso País, trabalhando com humildade pelo bem comum, sem buscar os holofotes", afirmou.

Segundo o ministro, Sigmaringa Seixas era uma pessoa discreta e com "vocação para o outro". "Uma grande perda para o Direito, a Advocacia e o Brasil", afirmou Toffoli. Outro integrante da Corte a se manifestar sobre a morte de Seixas foi o ministro Gilmar Mendes. "Um grande advogado, um mestre na arte da conciliação e da tolerância, um agregador por natureza e vocação. Um democrata na acepção da palavra. Fará muita falta ao Brasil e a nós, seus amigos", escreveu em seu Twitter. 

No Twitter, a presidente nacional do PT e senadora Gleisi Hoffmann (PT), lamentou a morte do amigo. "Com tristeza imensa acabei de saber da morte de nosso grande e querido companheiro Sigmaringa Seixas. Lutador incansável pela justiça e pela democracia em nosso País", escreveu. 

O senador Romero Jucá, presidente nacional do MDB, se manifestou pela mesma rede social. "Perdemos hoje um lutador pelos direitos individuais e coletivos e um defensor da democracia. Que Deus conforte o coração da família e amigos do deputado Sigmaringa Seixas", afirmou. Também senador, Jorge Viana (PT-AC) afirmou que o Brasil perdeu uma "grande figura humana" que lutava pela Justiça. 

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), elogiou o amigo em suas redes sociais. "Democrata, sempre investiu no diálogo para buscar soluções para o Brasil. Brasília está de luto", disse na publicação. Rollemberg tentou a reeleição este ano, mas foi derrotado pelo advogado Ibaneis Rocha (MDB)

O ex-parlamentar era filho de Antônio Carlos Sigmaringa Seixas, que presidiu a Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB-DF) nos anos 1970. 

Mais conteúdo sobre:
Luiz Carlos Sigmaringa Seixas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.