Morre na Líbia condenado por explosão de avião da Pan Am em 1988

Morreu o ex-oficial de inteligência da Líbia condenado pelo atentado a bomba em um vôo da Pan Am em 1988 sobre Lockerbie, Escócia, que matou 270 pessoas, contou seu irmão neste domingo.

REUTERS

20 Maio 2012 | 11h14

Abdel Basset al-Megrahi, libertado de uma prisão escocesa em 2009 e que retornou à Líbia por sofrer de câncer terminal, esteve entrando e saindo de hospitais por semanas e foi levado a ter uma transfusão de sangue de emergência, em abril.

A saúde de Megrahi deteriorou-se rapidamente durante a noite, disse à Reuters seu irmão Abdulhakim. "Ele estava rodeado pela família e morreu em casa", disse. Ele tinha 60 anos.

"Ele estava muito doente para pronunciar algo em seu leito de morte", afirmou Abdulhakim. "Queremos que as pessoas saibam que ele era inocente."

Em 2001, Megrahi foi considerado culpado pela explosão do voo 103 da Pan Am que fazia o voo entre Londres e Nova York no dia 21 de dezembro de 1988. Todas as 259 pessoas a bordo da aeronave morreram, além de 11 pessoas na cidade escocesa de Lockerbie com a queda dos destroços.

Ele foi preso na Escócia, mas foi enviado de volta à Líbia de Muammar Kadafi pelas autoridades escocesas por razões humanitárias, em 2009, porque ele tinha esperanças de sobreviver apenas por alguns meses.

(Por Hadeel Al Shalchi)

Mais conteúdo sobre:
GERAL MEGRAHI MORRE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.