José Patrício/Estadão - 22/3/2012
José Patrício/Estadão - 22/3/2012

Morre aos 86 anos o economista Paul Singer, um dos fundadores do PT

Uma das referências intelectuais do partido, o professor estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo

O Estado de S.Paulo

16 Abril 2018 | 22h40

SÃO PAULO - Morreu na noite desta segunda-feira, aos 86 anos, o economista Paul Singer, um dos fundadores do PT e uma das principais referências intelectuais do partido. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês e não resistiu ao quadro de septicemia – infecção generalizada. A família informa que o velório será realizado no cemitério Israelita, no Butantã, a partir das 9h desta terça-feira – o sepultamento está marcado para as 14h30. 

Nascido em Viena, em 1932, Singer e sua família migraram para o Brasil na década de 1940, quando a Alemanha anexou a Áustria aos seus territórios e intensificou a perseguição aos judeus no País. Em 1953, como trabalhador metalúrgico, liderou a histórica greve dos 300 mil, que naquele ano paralisou a indústria paulistana por mais de um mês. Naturalizou-se brasileiro no ano seguinte. 

Singer se formou em Economia pela Universidade de São Paulo (USP), onde obteve o título de Doutor em Sociologia e de onde também foi professor. Em 1980 ajudou a fundar o Partido dos Trabalhadores. 

Foi um dos responsáveis pela formulação do programa de desenvolvimento do País a partir do fortalecimento do mercado interno por meio da distribuição de renda – alicerce econômico que marcou o governo de Luiz Inácio Lula da Silva. No governo Lula, assumiu a Secretaria Nacional de Economia Solidária, órgão ligado ao Ministério do Trabalho. Seu filho, André Singer, foi o porta-voz do governo.  

Viúvo, Paul Singer deixa três filhos – André, Helena e Suzana. 

A REPERCUSSÃO NO PT

A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR) lamentou a morte de Paul Singer. "Triste notícia da morte do professor Paul Singer. Foi um dos fundadores do PT. Militante de esquerda, caráter reto, coerente, intelectual que nunca mudou de lado. Nossos sentimentos aos filhos André, Helena e Suzana. Singer merece nossa gratidão e reconhecimento", escreveu ela em sua conta no Twitter. 

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ), também pela rede social, disse que "Paul Singer fará muita falta para todos os que sonham com um Brasil melhor. Economista brilhante, intelectual militante, ser humano incrível. Minha solidariedade aos familiares e amigos", escreveu. 

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) chama Singer de "mestre querido" e diz que o professor foi "uma das pessoas mais generosas" que conheceu. "Teórico da economia solidária e socialista libertário, formou gerações de militantes comprometidos com os mais nobres ideais de civilidade. Sentiremos saudades", escreveu.

O vereador Eduardo Suplicy (PT-SP) também lamentou a morte de Singer.

Parlamentares de outros partidos de esquerda também se juntaram às manifestações de condolências. O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) disse que a obra de Singer é "referência para pensar o desenvolvimento do País". O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse que Singer é o "pai da economia solidária". "O Brasil perde um de seus melhores intelectuais", disse.  "Uma perda instimável para o Brasil", concluiu a senadora Lídice da Matta (PSB-BA).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.