Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Morre aos 83 anos o ex-governador do Paraná Jaime Lerner

Arquiteto e urbanista ganhou notoriedade internacional por seu projeto de planejamento urbano e da transformação do transporte público de Curitiba

Matheus Lara e Mariana Hallal, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2021 | 08h08

Morreu na manhã desta quinta-feira aos 83 anos o ex-governador do Paraná Jaime Lerner. Ele estava internado desde domingo no Hospital Evangélico Mackenzie, em Curitiba, e teve complicações de doença renal crônica.

Lerner foi três vezes prefeito de Curitiba entre os anos 1970 e 1990. Urbanista, ganhou notoriedade internacional por seu projeto de planejamento urbano e da transformação do transporte público de Curitiba. Foi duas vezes governador do Estado do Paraná, de 1995 a 1998 e 1999 a 2002.

O governo do Paraná declarou luto oficial de três dias destacando o legado de Lerner na política de atração de investimentos. "O Paraná perde um grande cidadão, que ajudou a transformar Curitiba e o Estado", disse o governador Ratinho Junior. "Jaime Lerner tinha amor pelo Paraná. Dedicou uma vida inteira ao Estado, com realizações que transformaram Curitiba e servem até hoje de inspiração mundo afora. Um exemplo que ficará marcado eternamente pelas centenas de obras espalhadas pelo nosso Estado."

Fora da política, é responsável por projetos de arquitetura e urbanismo em cidades como São Paulo, Rio, Recife, Salvador, Aracaju, Natal, Goiânia, Campo Grande e Niterói. Lerner foi consultor em assuntos urbanos para as Nações Unidas. Lerner participou do desenvolvimento do BRT no Rio de Janeiro, um dos principais meios de transporte durante a Olimpíada de 2016.

Foi premiado no Concurso Nacional de Projetos pelo o edifício-sede da Polícia Federal, em Brasília, em 1967, e em 2007 recebeu da XI Bienal Internacional de Arquitetura de Buenos Aires o prêmio conjunto pela urbanização Pedra Branca.

Jaime Lerner formou-se em Arquitetura e Planejamento Urbano pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 1964. Em dezembro do ano seguinte, ajudou a fundar o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC), que se tornou internacionalmente conhecido pelos projetos voltados para o urbanismo e para a melhoria da qualidade de vida dos centros urbanos.

Durante seu primeiro mandato como prefeito biônico de Curitiba, em 1971, colocou em prática as estratégias formuladas no Plano Diretor da cidade, juntamente com sua equipe do IPPUC. Sua gestão foi marcada pela ênfase no transporte coletivo, com a criação da Rede Integrada de Transporte (as chamadas vias expressas), os calçadões para pedestres no centro e o aumento das áreas verdes de lazer.

Segundo o verbete biográfico do arquiteto escrito por Sérgio Soares Braga no Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas (CPPDOC-FGV), em 1974 o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) elegeu a administração de Jaime Lerner a melhor do País. 

Ao fim do primeiro mandato, Lerner começou a prestar consultoria em planejamento urbano para várias cidades. Tornou-se também consultor da Organização das Nações Unidas (ONU) para assuntos de urbanismo. Em 1979, voltou a assumir a prefeitura por indicação do então governador Ney Braga e deu continuidade às mudanças que havia começado.

O seu terceiro e último mandato foi conquistado por voto direto em 1988. Durante os quatro anos em que ocupou o cargo, foi o responsável por obras como a da rua 24 horas e pela implantação do sistema de ônibus de linha direta, conhecidos como ligeirinhos. Na sua gestão foram construídos o Jardim Botânico e a Ópera do Arame, cartões postais da cidade.

O arquiteto também implementou o programa Curitiba Capital Ecológica, incluindo pré-seleção e reciclagem de resíduos sólidos urbanos. Segundo o Instituto Jaime Lerner, o programa recolhe 15 mil toneladas de lixo ao ano e conta com a colaboração de 70% dos curitibanos. 

Para garantir a adesão nos bairros mais pobres, no início da década de 90 o então prefeito criou o programa Compra do Lixo. Os moradores da periferia separavam e encaminhavam o lixo para reciclagem e, em troca, recebiam vales-transporte. A iniciativa recebeu o prêmio máximo das Nações Unidas para o Meio Ambiente em 1990.

Como governador do Paraná, cargo que assumiu em janeiro de 1995, implantou o Anel Viário de Integração, uma parceria com a iniciativa privada visando à modernização das rodovias estaduais e interligando os principais polos produtivos do Estado. Também inaugurou o Museu Oscar Niemeyer, conhecido como “Museu do Olho”.

Ainda como governador, foi eleito, em julho de 2002, presidente da União Internacional dos Arquitetos (UIA) por um período de três anos. Lerner foi o primeiro latino-americano a presidir a entidade, sediada em Paris e representativa de cerca de 1,5 milhões de profissionais de 98 países associados.

Como arquiteto, Jaime Lerner ganhou dezenas de prêmios e títulos. Em outubro de 2017, foi eleito pela revista Planetizen o segundo urbanista mais influente do mundo. Também recebeu quatro títulos de Doutor Honoris Causa pelas universidades de Ferrara (Itália), Cracóvia (Polônia), Nova Scotia (Canadá) e São Francisco (Bragança Paulista). Lerner foi ainda membro honorário das associações de arquitetos do Reino Unido, Canadá, Nova Zelândia, Coreia do Sul, Japão, Paraguai e Panamá.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Jaime LernerParaná [estado]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.