Ney Mendes/A Crítica
Ney Mendes/A Crítica

Morre aos 81 anos o ex-senador amazonense Gilberto Mestrinho

Político, que estava na UTI há mais de duas semanas, sofreu uma parada cardíaca por volta das 9h10

Agência Estado

19 Julho 2009 | 12h31

O ex-governador e ex-senador amazonense Gilberto Mestrinho, 81, morreu às 9h10 deste domingo, 19, no Hospital Prontocord, em Manaus. Mestrinho, do PMDB, estava internado desde o dia 3 por conta de uma infecção nos rins. O boletim oficial com a causa da morte ainda não foi divulgado. Ele teve uma parada cardíaca por volta de 8h. A equipe médica tentou reanimá-lo, mas ele não resistiu.

 

De acordo com a assessoria do ex-parlamentar, o boletim médico divulgado apontou como causa da morte uma insuficiência cárdio-respiratória. Mestrinho estava com 81 anos, deixa esposa, nove filhos e mais de 20 netos.

 

Mestrinho começou a carreira política na década de 1950 como prefeito de Manaus, numa época em que os chefes do Executivo Municipal eram escolhidos pelos governadores. Exerceu o mandato de prefeito, foi três vezes governador do Amazonas e senador por uma legislatura, que terminou em 2007.

 

Em princípio, a internação se deu por causa da infecção nos rins. Nos 17 dias que ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Prontocord, ele teve complicações derivadas de câncer nos pulmões.

 

Na última sexta-feira, 17, a enfermeira e assessora Ivaneide Ramos divulgou um boletim médico apontando uma "progressiva melhora, mas sem previsão de alta". De acordo com esse boletim, o ex-senador estava consciente, lúcido e respondendo bem aos medicamentos.

 

Segundo informações da rádio CBN Manaus, o velório deve acontecer no Palácio Rio Negro, no Centro da capital.

 

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio Netto (AM), lamentou há pouco o falecimento do ex-governador do Amazonas Gilberto Mestrinho, que foi seu colega de bancada no Senado.

 

"Eu lamento a morte dele. Foi um grande aliado meu e de meu pai. Não se pode contar a história do Amazonas depois de 1956 sem falar de Mestrinho. Vou pedir uma sessão solene para ele no Senado", afirmou.

 

O corpo de Mestrinho será velado a partir das 15h (hora local), no Palácio Rio Negro, antiga sede do governo do Amazonas. A família quer dar oportunidade para que a população se despeça do ex-senador e ex-governador do Amazonas. Ele será embalsamado e o enterro está previsto para as 10h da terça-feira, 21, no cemitério São João Batista, na capital amazonense.

 

Gilberto Mestrinho nasceu em Manaus no dia 23 de fevereiro de 1928. Iniciou sua carreira política na década de 1950 como prefeito de Manaus. Foi deputado federal e também governador do Amazonas por três vezes, nos anos de 1959 a 1963; 1983 a 1987; e 1991 a 1995. No Senado, onde permaneceu de 1998 até 2007, Mestrinho comandou a Comissão Mista de Orçamento por três anos seguidos.

 

Ao longo de anos de vida política, Gilberto Mestrinho recebeu diversos apelidos como "imperador da selva", mas o que gostava mais - e o que ganhou maior popularidade - foi o de "Boto Tucuxi". Sua última tentativa de concorrer a cargo público ocorreu em 2006, quando lançou-se como candidato à reeleição ao Senado pelo PMDB Amazonas. Ele não foi eleito, tendo ficado em terceiro lugar.

Mais conteúdo sobre:
Gilberto MestrinhoManaussenador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.