Morre almirante que investigou atentado ao Riocentro

Júlio de Sá Bierrenbach escreveu livro sobre o caso e sustentou, em depoimento na Comissão Nacional da Verdade, em 2014, que a investigação oficial foi forjada para não incriminar militares de alta patente que tramaram a explosão

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

11 de junho de 2015 | 21h23

Rio - O almirante Júlio de Sá Bierrenbach, ministro aposentado do Superior Tribunal Militar (STM), morreu nesta quinta-feira, 11, aos 96 anos. O militar se notabilizou por ter lutado pela investigação do atentado do Riocentro, em 30 de abril de 1980. A explosão seria atribuída a grupos de esquerda, mas o plano fracassou porque uma das bombas explodiu acidentalmente e matou o sargento Guilherme do Rosário, agente do Destacamento de Operações de Informações (DOI), órgão de inteligência e repressão da ditadura militar. Outro agente, capitão Wilson Machado, foi ferido gravemente.

O atentado foi tramado como tentativa de recrudescimento da ditadura, que chegava ao fim. Bierrenbach escreveu livro sobre o caso Riocentro e sustentou, em depoimento na Comissão Nacional da Verdade (CNV), em 2014, que a investigação oficial foi forjada para não incriminar militares de alta patente que tramaram a explosão.

Nascido em Sorocaba (SP), Bierrenbach foi nomeado ministro do STM em junho de 1977, pelo então presidente Ernesto Geisel. A biografia do ex-ministro registrada no site do tribunal destaca que, já no discurso de posse, Bierrenbach "declarou serem os presos intocáveis e que as inquirições deveriam ser conduzidas com inteligência e não com violência". 

A biografia cita declaração do almirante ao reagir contra a morosidade das investigações do Riocentro: "enquanto órgãos policiais não apurarem e não apresentarem elementos suficientes à Justiça Militar, os crimes de terror continuarão impunes". Duas investigações militares sobre o atentado foram arquivadas, sem que houvesse condenados.

Bierrenbach passou mal na madrugada desta quinta em casa, em Ipanema (zona sul), onde morreu. O velório acontecerá nesta sexta-feira, 12, no Cemitério São João Batista, em Botafogo (zona sul), a partir das 8 horas. O sepultamento será às 13 horas. Era viúvo e teve três filhos.

Tudo o que sabemos sobre:
RiocentroSTMJúlio de Sá Bierrenbach

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.