Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

Moro diz não ter medo do que ainda pode ser divulgado por site

Moro pediu para que o site 'The Intercept Brasil' apresente todas as mensagens e diz ter convicção que agiu dentro da legalidade

Fernanda Guimarães, André Italo e Francisco Carlos de Assis, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2019 | 13h48

SÃO PAULO - O ministro da Justiça Sergio Moro disse nesta sexta-feira, 5, que não tem medo sobre o que, eventualmente o site The Intercept Brasil ainda poderá divulgar, após ser questionado sobre matéria publicada hoje pela revista Veja, que traz supostos diálogos entre Moro, enquanto juiz, e procuradores da República.

Moro pediu para que o site apresente todas as mensagens, o que acha, contudo, “ser eticamente reprovável”, mas reiterou que se as mensagens não tiverem adulterações, ele tem convicção que agiu dentro da legalidade. Moro voltou a afirmar que não se lembra de mensagens trocadas há dois ou três anos e que um diálogo tirado do contexto ou a inserção de uma palavra pode alterar teor das mensagens.

O ministro da Justiça disse que não tem mais as mensagens trocadas pelo Telegram e que o aparelho no qual estava instalado o aplicativo não é utilizado desde de 2017. Moro foi muito aplaudido pela plateia em evento da XP Investimentos, formada essencialmente por agentes do mercado financeiro.

Ele reclamou da publicação da Veja. "A matéria não dá direito de resposta", afirmou Moro. "Não apresentaram as mensagens a mim para que eu pudesse avaliar e explicar". De acordo com a revista, o ministro Sergio Moro foi procurado, mas não quis receber a reportagem, assim como o procurador Deltan Dallagnol.

Tudo o que sabemos sobre:
Deltan DallagnolTelegramSérgio Moro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.