Moreira não deve ser cassado

Embora a saída do aliado Sérgio Moraes (PTB-RS) da relatoria do processo por quebra de decoro seja uma derrota para Edmar Moreira (sem partido-MG), o ex-corregedor da Câmara não deverá perder o mandato. Mesmo os conselheiros que lutam pela destituição de Moraes, por entenderem que houve prejulgamento, acreditam que Moreira terá punição branda, como a suspensão por determinado período, sem vencimentos. A própria denúncia encaminhada ao conselho pela Mesa Diretora abre uma brecha para que Moreira não seja condenado à pena máxima (cassação). A Mesa baseou-se no parecer da comissão de sindicância da corregedoria, que fez a investigação preliminar, apontando indícios de quebra de decoro, mas sem pedir a cassação. Conselheiros ouvidos pelo Estado dizem que quanto a prestação de serviços de segurança, pelos quais pagou R$ 230,6 mil, entre 2007 e 2008, usando a verba indenizatória, o deputado será beneficiado pelo fato de, na época, não haver regras claras sobre o benefício.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.