MARCIO RIBEIRO
MARCIO RIBEIRO

Agenda de ministro mostra reunião na PF de SP antes de fala sobre Lava Jato

Reunião entre Alexandre de Moraes e Disney Rosseti aconteceu na sede do Departamento de Polícia Federal da capital paulista e durou uma hora

Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2016 | 11h19
Atualizado 28 de setembro de 2016 | 16h28

BRASÍLIA - O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, reuniu-se com o superintendente regional da Polícia Federal em São Paulo, Disney Rosseti, dois dias antes de ter dado a polêmica declaração de que uma nova fase da Operação Lava Jato aconteceria nesta semana. "Teve a semana passada e esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos. Quando vocês virem esta semana, vão se lembrar de mim", disse Moraes, no domingo, 25, em um evento do candidato a prefeito Duarte Nogueira (PSDB) em Ribeirão Preto, conforme revelou com exclusividade o Estado. Na segunda-feira, 26, dia seguinte à declaração, o ex-ministro Antonio Palocci foi preso na cidade em decorrência da 35ª fase da operação.

O encontro de Moraes com o superintendente da PF aconteceu na sede do Departamento de Polícia Federal da capital paulista e, conforme divulgado pela agenda oficial do ministro, durou uma hora. De acordo com a assessoria de Moraes, no encontro foram tratados pelo menos três assuntos: “tráficos de drogas e armas, inclusive trabalho conjunto com a Polícia Civil e Militar; fiscalização de empresas de valores (em virtude do aumento de roubos com explosivos e armamento pesado); e aperfeiçoamento da legislação sobre guarda de armas em estabelecemos bancários, em virtude do grande número de roubos de armamento das empresas de segurança privada”. Procurada, a assessoria de imprensa do Departamento da Polícia Federal de São Paulo ainda não se manifestou sobre o encontro. 

Rosseti foi nomeado superintendente regional da PF em São Paulo em setembro de 2015. Pelos procedimentos da instituição, o superintendente regional sempre é informado com antecedência de qualquer operação que vá ocorrer em sua circunscrição para poder mobilizar equipe para cumprir os mandados. Ele, porém, não obrigatoriamente é informado sobre os alvos da operação.

Após exercer a função de adido policial federal na Embaixada do Brasil em Roma, Rosseti substituiu o delegado Roberto Troncon, agora adido em Londres. Rosseti exibe um currículo com passagens por setores estratégicos da PF. Antes da Itália ele foi superintendente da PF em Brasília e diretor da Academia Nacional de Polícia, a famosa escola da PF.

Nessa segunda-feira, após a operação que prendeu Palocci, o presidente Michel Temer chamou o ministro para uma conversa no Planalto para cobrar-lhe mais explicações. Moraes, porém, estava em São Paulo e os dois conversaram pelo telefone. Temer teria aceitado as explicações de que a declaração se tratou de uma “infeliz coincidência”. Há expectativa de que a reunião ocorra nesta terça, mas ela não está confirmada. O ministro da Justiça, porém, participará da reunião e do jantar que o presidente vai oferecer a ministros e líderes da base na noite desta terça no Alvorada.

A intenção de Temer é fazer uma reunião “de alinhamento” com os demais ministros, a fim de amenizar as seguidas crises causadas por declarações “desnecessárias” e consideradas prejudiciais para o governo. “Falou besteira, no lugar errado e na hora errada”, afirmou uma fonte do governo. A avaliação é que o adiamento da conversa com Moraes teria inclusive beneficiado o governo, já que o noticiário ficaria focado na prisão do ex-ministro do PT e não na “crise” causada pelas declarações do titular da Justiça. Segundo fontes do Planalto, o desgaste em torno de Moraes não o coloca na berlinda e uma demissão do ministro não está sendo cogitada por Temer. O presidente quer sim “enquadrá-lo” para tentar evitar o prolongamento da crise, mas a intenção é diminuir a temperatura da crise “e colocar água na fervura”.

Agenda. Conforme a agenda do ministro, divulgada na manhã desta terça-feira Moraes tem um almoço com o ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra Martins Filho. Às 14 horas, Moraes tem audiência com o presidente da Abert, Paulo Camargo. Na sequência, recebe o Procurador-Geral de Justiça de São Paulo, Gianpaolo Smanio e, às 16 horas, tem encontro com o promotor de Justiça, Lincoln Gakiy

 *A reportagem foi atualizada para corrigir a data de nomeação de Disney Rosseti . Ele foi nomeado superintendente regional da PF em São Paulo em setembro de 2015, e não no início do mês, como dizia o texto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.