JF Diório|Estadão
JF Diório|Estadão

Moraes diz que policiais presos do Senado extrapolaram sua competência 

A PF prendeu na manhã desta sexta-feira, 21, quatro policiais legislativos sob a acusação de terem retirado escutas telefônicas de aparelhos em imóveis particulares e funcionais ligados a três senadores investigados na Lava Jato

Carla Araújo e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2016 | 17h10

BRASÍLIA - O ministro da Justiça, Alexandre Moraes, afirmou nesta sexta-feira, 21, que as investigações que levaram à prisão de policiais legislativos apontam que os servidores extrapolaram o limite de sua competência. 

"O que as investigações levaram à conclusão, e isso referendado pelo Ministério Público, com ordem judicial, é que em tese alguns servidores da polícia do Senado realizaram uma série de atividades direcionadas à obstrução da Justiça. Em tese, eles extrapolaram o que seria de sua competência", disse Moraes, após participar de cerimônia de lançamento de um novo sistema eletrônico de inquéritos da Polícia Federal, em Brasília.

A PF prendeu na manhã desta sexta-feira, 21, quatro policiais legislativos, entre os quais o diretor da Polícia Legislativa, Pedro Ricardo Carvalho, sob a acusação de terem retirado escutas telefônicas de aparelhos em imóveis particulares e funcionais ligados a três senadores investigados na Operação Lava Jato - Edison Lobão (PMDB-MA), Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Fernando Collor (PTC-AL).

Pela manhã, Moraes, que participou de cerimônia em comemoração ao Dia do Aviador, na Base Aérea de Brasília, na qual o presidente Michel Temer estava presente, disse que a Polícia Federal "simplesmente cumpriu ordem judicial " ao executar as buscas e apreensões no Senado Federal. 

Segundo Moraes, o diretor geral da PF, Leandro Daiello, lhe telefonou "no inicio da manhã informando que haveria uma operação" sem detalhar que tipo de operação seria realizada e onde ela seria feita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.