Moraes culpa ACM Neto por sua destituição no Conselho

Um dia depois de perder a relatoria do processo de cassação do deputado Edmar Moreira (sem partido-MG), dono de um castelo em Minas, o gaúcho Sérgio Moraes (PTB-RS) voltou para sua base eleitoral, a pequena Santa Cruz do Sul. Foi buscar acolhida entre os que não se escandalizaram com a afirmação de que ele se "lixava para a opinião pública." Segundo ele, sua destituição é resultado de uma articulação do deputado ACM Neto (DEM-BA), que teria interesse na punição de Edmar Moreira e estaria agindo de forma autoritária. ?A botina do ACM Neto bate dentro do Congresso?, criticou.

AE, Agencia Estado

15 de maio de 2009 | 08h13

No escritório político, acompanhado pelo advogado e por uma filha, Moraes recebeu jornalistas e soltou o verbo. "Não existe nenhum dispositivo legal, nem no regimento interno da Casa nem no regimento do Conselho de Ética, que nem sequer possa dar uma sugestão de me tirar", afirma ou deputado, sobre a decisão do Conselho de Ética de destituí-lo da relatoria do caso Edmar Moreira. Ele recorreu ontem ao Supremo Tribunal Federal (STF) para obter de volta a posição de relator. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.