Morador de PE, Jungmann integra conselho da CET-SP

O ex-deputado pernambucano Raul Jungmann (PPS) pretende continuar no conselho de administração da Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo (CET). Apesar de residir em Recife (PE) e estar frequentemente em Brasília, Jungmann não vê problemas em continuar no conselho da estatal que cuida do trânsito na capital paulista. Ele foi indicado pelo prefeito Gilberto Kassab e recebe salário de R$ 6 mil para participar de uma reunião por mês. Jungmann está na função desde março.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

13 de maio de 2011 | 18h56

"Quando eu era presidente do conselho de administração do BNDES não morei no Rio de Janeiro e quando era vice-presidente do Banco do Brasil não morava em Brasília", argumenta. O ex-deputado diz que sua função na CET não tem a ver com o dia a dia do transito em São Paulo. "No conselho você vê contabilidade, metas, programas e andamento do que foi planejado. Não toca diretamente na administração, não se envolve neste cotidiano".

Para ele, a situação política que levou o ex-vice-presidente da República Marco Maciel a recusar os cargos em conselhos foi uma "tempestade em copo d''água". "Imaginar que o Marco Maciel, por causa de R$ 4,7 mil líquidos, ia aderir ao projeto do Kassab, é um pouco demais".

Jungmann diz não haver qualquer constrangimento dentro do PPS com sua participação na administração do prefeito paulistano e lembra que foi indicado para ocupar o lugar de Roberto Freire, presidente de seu partido. Freire trocou Pernambuco por São Paulo e se elegeu deputado federal no ano passado.

O ex-deputado afirma que não cogita mudar de partido e apoia a ação do PPS de buscar no Supremo Tribunal Federal (STF) os mandatos de quatro deputados federais que migraram para a nova legenda de Kassab.

Tudo o que sabemos sobre:
CETconselhoJungmannKassabsalário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.