Moqueca salva jantar de Sarkozy

Durante entrevista no Palácio da Alvorada, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, brincou com o presidente Lula e disse que a "única promessa" que o brasileiro não cumpriu foi a oferta de um churrasco de jantar. Lula, que estava ao seu lado, riu e fez questão de contar por que o churrasco foi trocado, à última hora, por uma moqueca capixaba.

Tânia Monteiro e Denise Chrispim Marin, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

08 de setembro de 2009 | 00h00

O vidro da cobertura da churrasqueira estilhaçou e a carne ficou cheia de cacos de vidro. O presidente brasileiro revelou ainda que Sarkozy, além da moqueca, saboreou o feijão tropeiro que seria o acompanhamento do churrasco.

Lula justificou-se: "Eu estou prometendo há um ano um churrasco para o presidente Sarkozy. Ontem , ele chegou aqui às 20h30 e o churrasco estava quase no ponto. Só que essa churrasqueira moderna tem um vidro temperado de cada lado. Acho que colocamos carvão demais, e o vidro estourou. Caiu todo vidro em cima da carne e eu não poderia oferecer um churrasco com vidro".

Ainda segundo Lula, a primeira-dama Marisa Letícia achou que ia chover e deixou uma moqueca capixaba preparada para ser comida em um das salas do palácio, e não nos jardins, onde seria o churrasco. "Nós comemos, então, uma moqueca capixaba com feijão tropeiro. Eu fiquei satisfeito porque o presidente Sarkozy gostou muito do feijão tropeiro, o que significa que ele já está se sentindo em casa", afirmou Lula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.