Mônica rejeita comparação com Bebel

Jornalista nega ter denunciado Renan e se diz 'personagem involuntária'

Clarissa Oliveira, O Estadao de S.Paulo

03 de outubro de 2007 | 00h00

Apenas alguns dias antes de chegar às bancas na capa da revista Playboy, a jornalista Mônica Veloso afirmou ontem que se tornou "personagem involuntária" da crise, ressaltou jamais ter sido autora de denúncias contra o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e garantiu não se arrepender de nada do que fez. "Fui personagem de forma involuntária de um episódio complicado como esse", declarou a jornalista, que disse querer apenas deixar o caso para trás. Veja galeria de fotos Em uma entrevista coletiva que misturou momentos de satisfação com o ensaio para a Playboy e sinais de desconforto com o assunto Renan, Mônica tentou se desvencilhar do rótulo de celebridade. Além disso, rejeitou comparações com a personagem Bebel, da novela Paraíso Tropical. No último capítulo, a prostituta interpretada por Camila Pitanga se envolveu com um senador, prestou depoimento em uma CPI fictícia e falou em posar nua. "Minha história é completamente diferente. Não vi nenhuma identificação." Sem dar detalhes, Mônica avisou que concluirá por volta do dia 15 de novembro um livro sobre o relacionamento entre a imprensa e os políticos em Brasília. "Vou comentar experiências que vivi e vi", disse, acrescentando que não se trata de abordar um ou outro político especificamente. Ela também contou ter recebido propostas para voltar à TV, mas descartou trabalhos na área política.Mônica evitou perguntas sobre Renan, embora tenha confirmado que o senador está em dia com a pensão da filha. Atualmente, os pagamentos são debitados diretamente em seu contracheque por determinação judicial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.