Nilton Fukuda|Estadão
Nilton Fukuda|Estadão

Molon vai protocolar mandado de segurança para exigir instalação de Comissão de Impeachment

Iniciativa será tomada após laudo da Polícia Federal ter atestado que o áudio da conversa gravada pelo empresário Joesley Batista, da JBS, com o presidente Michel Temer não foi editado ou adulterado

Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2017 | 13h22

BRASÍLIA – O deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ) afirmou hoje, em mensagem de vídeo encaminhada à imprensa, que entrará na segunda-feira (26) com mandado de segurança solicitando que o Supremo Tribunal Federal (STF) obrigue o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a instalar a Comissão de Impeachment do presidente Michel Temer.

A iniciativa, de acordo com Molon, será tomada porque o laudo da Polícia Federal, divulgado na sexta-feira (23), atestou que o áudio da conversa gravada pelo empresário Joesley Batista, da JBS, com o presidente Michel Temer, no dia 7 de março, no Palácio do Jaburu, não foi editado ou adulterado. 

“Diante do resultado da perícia da Polícia Federal, que mostrou que não houve edição ou manipulação no áudio em que Michel Temer é gravado praticando crimes, e diante da paralisia do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, na segunda-feira vou entrar com mandado de segurança, pedindo que o Supremo obrigue o presidente da Câmara a instalar a Comissão de Impeachment”, disse Molon.

No total, já foram encaminhados a Maia 20 pedidos de impeachment contra o presidente Michel Temer, após gravações e denúncias feitas por executivos da JBS, em delação premiada. O primeiro pedido foi feito justamente por Alessandro Molon. Maia, por enquanto, não analisou os pedidos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.