Moderados devem consolidar maioria no PT

A ala moderada do PT deve consolidar a maioria na correlação de forças do diretório nacional e a tendência é que o deputado José Dirceu (SP) seja reeleito presidente do partido para o quarto mandato, sem necessidade de segundo turno.Os números que indicam a vitória do grupo light, capitaneado por Luiz Inácio Lula da Silva, ainda são extra-oficiais, uma vez que houve pane de dez horas no sistema de transmissão de dados das seções estaduais para a sede."A avaliação que temos, com base em informações dos Estados, é que a eleição será resolvida no primeiro turno, conforme previsto", afirmou o deputado José Genoíno (SP), presidente em exercício do PT.Cálculos preliminares apontam ainda que perto de 200 mil petistas, de um universo de 861.953 filiados aptos a votar, compareceram às urnas neste domingo para escolher o presidente nacional do partido e renovar suas direções, em todo o País.Pelas informações, Dirceu e a chapa "Um outro Brasil é possível", que prega um programa de governo mais ameno para a Presidência da República, obtiveram cerca de 55% dos votos.A pane que está atrasando a totalização dos votos no PT ocorreu por causa do congestionamento de dados no sistema. "Não prevíamos que todos enviassem os números apurados tão rapidamente", disse o coordenador da votação eletrônica, Moacir Casagrande.O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cedeu 1.100 urnas eletrônicas para a eleição petista, mas em 2.834 municípios a votação foi feita de forma convencional.Apesar da esperada vitória dos moderados, o número de votantes ficou abaixo da expectativa. O grupo de Dirceu estimava o comparecimento de 300 mil filiados. Além disso, cidades importantes não atingiram o quórum mínimo. Foi o caso de Belo Horizonte (MG), Juiz de Fora (MG), Contagem (MG) e Santos (SP).A capital Recife (PE), administrada pelo PT, teve problemas com listas complementares de votação, com muitos nomes em duplicata. A tendência é que a comissão eleitoral anule os votos de uma urna. Neste caso, o quórum pode ficar prejudicado.Dos 24 diretórios zonais paulistanos, oito também não conseguiram quórum. Entre eles o do Butantã, onde votou Genoíno - cabo eleitoral de Dirceu - e o economista Markus Sokol, de extrema-esquerda, que também entrou na disputa pela presidência do PT.Sem o número mínimo de votantes, os votos nem chegam a ser computados. "No meu diretório tem muita gente que era do PT e hoje está no PSTU", constatou Genoíno. "Esta eleição mostrou que temos de atualizar nosso cadastro de filiados, porque existe o verdadeiro e o formal."No Rio Grande do Sul, reduto das correntes de esquerda do PT, Dirceu obteve sua menor votação. Pelos números extra-oficiais dos diretórios municipais, o deputado conquistou apenas 22,4% dos votos dos petistas gaúchos, enquanto o ex-prefeito Raul Pont apoiado pelo governador Olívio Dutra, fez 53,6%.Também radical, o presidente licenciado do PT naquele Estado, Júlio Quadros, ficou em terceiro lugar, com 18,2%. Quadros também venceu no Espírito Santo, mas com menor vantagem sobre Dirceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.