MLST promove nova invasão

Cerca de 170 famílias do Movimento de Libertação dos Sem-Terra (MLST), grupo dissidente do MST, ocuparam na madrugada de hoje uma área junto ao Horto Municipal de Franca. As famílias são integrantes do grupo que foi retirado da Fazenda Queixada, em Barretos, ontem. Segundo um dos líderes do movimento, Jean Gomes, outras 70 famílias que estavam integrando o grupo foram se juntar ao acampamento na Fazenda Capim, em Uberlândia. As principais lideranças do movimento está negociando agora à tarde, na prefeitura de Franca, um prazo para permanecerem pacificamente no local. Segundo Gomes, a previsão é ficar na área enquanto o Incra inspeciona áreas da região que estão para ser desapropriadas. "Temos famílias cadastradas junto ao programa de reforma agrária e que poderiam estar ocupando uma das 16 áreas que já foram declaradas inativas na região", disse ele. O diretor do Horto de Franca, Célio Berteli, quer um acordo para a permanência máxima das famílias no local por 20 dias. As famílias estão alojadas no barracão do colégio agrícola, dentro do Horto Municipal. Devido ao frio, a prefeitura de Franca e entidades assistenciais doaram cobertores e agasalhos às famílias de sem-terra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.