Missão aprovou fabricação de rações da Guabi

A última empresa visitada pela comitiva do Nafta foi a Guabi, fabricante de rações localizada em Sales Oliveira, 40 quilômetros ao norte de Ribeirão Preto. O objetivo da missão na empresa, que pertence ao Grupo Mogiana Alimentos, foi conhecer o sistema de fabricação da ração e verificar se, de fato, ela não envolve farinha de carne e ossos. Segundo o diretor técnico da Guabi, Ariovaldo Zanni, a comitiva também se mostrou interessada em checar as instalações da unidade, principalmente porque ali, além da ração para bovinos, em torno de mil toneladas por mês, são fabricadas rações para aves, que envolvem a farinha animal. "Eles disseram que o armazenamento separado dos dois tipos de rações está de acordo com normas técnicas e se mostraram satisfeitos com o que viram", disse Zanni. Segundo o diretor técnico da Guabi, os visitantes também conheceram todo o processo de fabricação com fórmulas elaboradas por meio de computador. "Uma visita como essa, detalhada e específica feita por técnicos como eles, está longe de ser apenas pró-forma. Eles esmiuçaram tudo, e o tempo em que passaram na empresa, em torno de duas horas, foi suficiente para eliminar todas as dúvidas que existiam até então", disse. A comitiva visitou apenas a Guabi, apesar de ter anunciado que iria checar também as instalações da Fri-Ribe, localizada em Pitangueiras. Segundo informações obtidas junto ao secretário de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, João Carlos de Souza Meirelles, o motivo do cancelamento da visita à Fri-Ribe foi meramente falta de tempo, já que a comitiva demorou mais do que o esperado nas visitas da manhã ao Frigorífico Bertin, em Lins, e à Fazenda Bela Vista, em Tapiratiba (SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.