Missa de 7º dia de Evandro Lins e Silva reúne 300

Cerca de 300 pessoas participaram hoje da missa de sétimo dia do jurista Evandro Lins e Silva, sepultado na terça-feira passada no Rio. Celebrada pelo cardeal Antônio Eusébio Cheid, a pedido da família, a missa reuniu amigos, juristas e membros da Academia Brasileira de Letras (ABL), da qual Lins e Silva fazia parte desde 1998, ocupando a cadeira número 1.Também estiveram presentes à cerimônia o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Rubens Approbato Machado, o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello, o ex-ministro da Saúde Jamil Haddad e a economista Maria da Conceição Tavares. O futuro ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, era esperado para a crimônia, mas não compareceu. Evandro Lins e Silva morreu aos 90 anos no último dia 17, vítima de traumatismo craniano provocado por um tombo ao chegar ao Aeroporto Santos Dummont, no Rio. Ele vinha de Brasília, onde havia sido nomeado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso integrante do Conselho da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.