Miro confirma que deixará a liderança do governo

O líder do governo na Câmara, deputado Miro Teixeira (sem partido-RJ), confirmou hoje à Agência Estado, por telefone, que deixará o cargo. Ele disse que na semana passada comunicou essa disposição aos ministros-chefes da Casa Civil, José Dirceu, e da Coordenação Política, Aldo Rebelo, bem como ao líder do PT na Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (SP), aos quais pediu que já fossem pensando em algum nome para substitui-lo. Segundo Miro, sua saída agora só depende do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que o escolheu para o posto. "O prazo é do presidente", disse Miro.Ele disse que quer deixar a liderança porque pretende filiar-se a um outro pardido, já que se desvinculou formalmente do PDT na última sexta-feira, e que pretende refazer sua base política no Rio. "Vou ter de rearticular minha base no Rio e terei de bater de frente com outros partidos da base", adiantou Miro. Segundo ele, essa rearticulação de bases no Rio poderá criar problemas para o governo, se ele permanecer na liderança. "Sem dúvida, vou deixar a liderança", disse. "Eu traria problemas para o governo se permanecesse. Estou com muito apetite de organização partidária." O deputado negou que tenha tido dificuldades na articulação da bancada governista na Câmara e, também, que tenha havido desconforto em cumprir compromissos assumidos pela assessoria parlamentar do Palácio do Planalto com deputados antes que ele assumisse a liderança governista. "Não há acordo que Aldo (Rebelo) tenha feito no passado que eu não pudesse sustentar", disse Miro. Aldo Rebelo, atual ministro da Coordenação Política, foi seu antecessor na liderança do governo na Câmara.Quanto a críticas que lhe têm sido feitas por líderes de partidos aliados de estar ausente de articulações, Miro disse que "as reuniões (de líderes) se tornaram dispensáveis pela eficiência dos líderes partidários de bancada". O líder está em sua casa, no Rio, onde se recupera de uma pneumonia. Por recomendação médica, ele deverá permanecer por, pelo menos, mais dois dias em repouso. Miro disse que, já neste semana, vai filiar-se a um novo partido, mas não adiantou qual é. Antes disso, porém, vai conversar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.