Miriam Belchior: CPI não atrapalhará licitações do PAC

De acordo com a ministra, se a Delta for considerada inidônea, a solução será pensada depois

Lu Aiko Otta, de O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2012 | 14h10

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, avaliou nesta quinta-feira, 26, que a CPI Mista que investigará as atividades do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, não atrapalhará o ritmo de licitações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "As licitações vão ser lançadas no mesmo ritmo previsto", disse a ministra, na saída de audiência pública na Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados, que discutiu a nomeação de funcionários públicos federais concursados.

Questionada sobre o que aconteceria, caso a construtora Delta, alvo das investigações e responsável por várias obras de PAC, seja considerada inidônea, a ministra desconversou. "Se isso vier a acontecer, quando acontecer, vamos ver o que pode ser feito". Ela esquivou-se também de comentar o que aconteceria, caso a Delta quebre. "Isso é problema da empresa, não é problema do governo", afirmou. A ministra negou que tenha realizado quarta-feira uma reunião do grupo executivo do PAC ao qual caberia discutir essas questões.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI do CachoeiraPAC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.