Ministros tucanos tentam minimizar mal-estar com Temer após programa na TV

Os ministros Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Aloysio Nunes (Relações Exteriores) almoçaram ontem com Temer no Palácio do Planalto

Carla Araújo e Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

19 Agosto 2017 | 17h24

SÃO PAULO E BRASÍLIA -  Ministros do PSDB na Esplanada e o senador Aécio Neves (MG), presidente afastado do partido, se mobilizaram nesta sexta-feira para minimizar o mal - estar causado com o Palácio do Planalto após a exibição do programa tucano na TV que fez críticas indiretas a administração Michel Temer, que praticaria um “presidencialismo de cooptação”.

Os ministros  Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Aloysio Nunes (Relações Exteriores) almoçaram ontem com Temer no Palácio do Planalto.

No encontro, disseram que o conteúdo do programa foi todo definido de forma isolada por Tasso e que ele não contaria com o apoio da executiva nacional do partido. Para ilustrar o “isolamento” do presidente em exercício do PSDB, os ministros exibiram mensagens de WhatsApp e celular de lideranças do partido com críticas ao conteúdo do comercial.

À noite, foi a vez do senador Aécio Neves (MG), presidente afastado do PSDB, se reunir com Temer em um jantar no Palácio do Jaburu, residencial oficial do presidente.

Na quinta-feira, logo após a exibição do programa, o ministros Bruno Araújo (Cidades), Imbassahy e Aloysio divulgaram notas oficiais condenando o conteúdo do programa.    

Em entrevista coletiva em Fortaleza, o senador Tasso Jereissati (CE), afirmou que não se arrepende "de nada" em relação à propaganda exibida pelo partido nesta quinta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.