Ministros inauguram obra em Araraquara

Durante evento, Edinho Silva foge de assuntos políticos e Arthur Chioro é cobrado por problemas no SUS

Rene Moreira, O Estado de S. Paulo

23 de agosto de 2015 | 16h34

Os ministros da Saúde, Arthur Chioro, e da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, estiveram na tarde deste sábado, 22, em Araraquara (SP), para a inauguração do Centro de Diagnóstico por Imagem da Santa Casa local. Edinho, que é da cidade, intermediou o benefício junto ao governo federal, ainda antes de estar no cargo atual.

 

Ele falou que agora a população terá de graça um serviço que antes era pago ou feito em outra cidade. "A Saúde foi colocada acima das questões partidárias. Disputa partidária é nas eleições", falou ele sobre a inauguração da obra na cidade comandada pelo prefeito Marcelo Barbieri (PMDB) e que teve, entre outros, ajuda também do governo de Geraldo Alckmin (PSDB).

 

O ministro da Saúde falou que a conquista foi um esforço de construção coletiva e que vai salvar muitas vidas. Segundo ele, centro avançado de diagnóstico realizará mais de 100 mil exames por ano. "Vocês já ouviram aquela frase de que 'nem parece do SUS, parece que é privado'? Esse é o padrão que a população merece", afirmou.

 

O prefeito Marcelo Barbieri disse estar satisfeito com a obra, mas cobrou do ministro melhorias no SUS. "Precisamos encontrar uma forma de financiamento. Os municípios arcam com 31% do SUS e recebem 16%. Não dá para contar só com emendas parlamentares".

 

Chioro tentou se explicar alegando que a saúde é "muito complexa" e lamentou o fim do CPMF, imposto que ia para a saúde e que, segundo ele, se ainda existisse significaria R$ 62 bilhões a mais no orçamento do setor.

 

Para ele o Congresso cometeu um "atentado contra a população brasileira" ao acaba com a CPMF em 2007. "O financiamento do SUS é um debate que a sociedade precisa fazer. É muito bom ver prefeitos discutindo isso. Como ministro, eu não estou satisfeito. É preciso mais qualidade".

 

Importância

O centro de diagnóstico que foi inaugurado é um dos mais modernos do interior paulista e custou R$ 9,7 milhões, sendo R$ 6,3 milhões provenientes do governo federal. A unidade atenderá uma população estimada em 700 mil pessoas e será referência para 23 cidades.

 

O convênio para a construção havia sido assinado há três anos, sendo este considerado o maior investimento já recebido pela Santa Casa. A entrega está inserida nas comemorações de aniversário de Araraquara, que faz 198 anos neste sábado.

 

PT

Edinho Silva evitou falar de outro assunto durante a inauguração. Antes, ele participou do "Dia de Mobilização do PT Estadual em Araraquara", envolvendo lideranças de 83 cidades da região. De acordo com ele, o PT tem mostrado sua força na superação de dificuldades. "O partido que tem liderado um governo de transformações sociais saberá ocupar o verdadeiro lugar na história", declarou.

Tudo o que sabemos sobre:
Política

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.