Ministros e Justiça lamentam morte de Eduardo Campos

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou nesta quarta-feira, 13, por meio de nota, que recebeu a notícia do falecimento de Eduardo Campos (PSB) com profundo pesar. "O Brasil perde hoje um homem público dedicado, defensor intransigente da democracia e de uma sociedade mais justa e fraterna. Neste momento de dor, transmito meus sentimentos aos familiares de Eduardo Campos e de todas as vítimas dessa tragédia", afirma Cardozo.

SANDRA MANFRINI, CÉLIA BRETAS TAHAN, HELIANA FRAZÃO, WLADIMIR DANDRADE E ANA FERNANDES, Estadão Conteúdo

13 de agosto de 2014 | 19h21

O ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, relembrou parte da trajetória política de Campos junto com ele no Congresso e na equipe ministerial do governo do PT na Presidência. "Hoje estávamos em palanques distintos, mas isso não diminui nem a importância dele nem a amizade nem o reconhecimento", afirmou Mercadante.

STJ

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Felix Fischer, divulgou nota de pesar pela morte do candidato. O ministro classificou a morte do político, que ocorreu nesta quarta-feira em acidente de avião, como acontecimento trágico.

"Em seu próprio nome e em nome do Tribunal, manifesta, com sentimentos de pesar, condolências à família enlutada", escreveu o ministro em nota.

Bahia

A candidata ao governo da Bahia pelo PSB, senadora Lídice da Mata, falou no da final da tarde desta quarta-feira, em Salvador, e afirmou desconhecer os rumos que a chapa tomará na corrida presidencial. , mas, por hora, para discutir sobre o funeral e outras questões.

Ao lado da candidata ao Senado, Eliana Calmon, Lídice limitou-se a comentar a nota oficial distribuída pelo diretório estadual da legenda sobre o acidente. "Quero dizer que o PSB da Bahia envia solidariedade à toda a família de Eduardo: sua mãe, Ana Arraes; à esposa, Renata Campos, e seus cinco filhos. Nós todos estamos muito emocionados. Eduardo esteve conosco sete dias atrás e estava muito animado. Ele nos trouxe muita alegria e confiança", disse a candidata.

Devido ao ocorrido, o partido suspendeu todos os compromissos de campanha da coligação, no Estado. "Nosso líder, nosso presidente, deixa para cada socialista, e também para todo o povo brasileiro, um legado de coragem, lucidez e competência, que se confundem com a forma amorosa com que se relacionava com o Brasil", acrescentou.

Ela leu ainda uma frase dita por Campos ao encerrar a entrevista concedida ao Jornal Nacional, da Rede Globona noite da terça: "Não vamos desistir do Brasil".

Mais cedo, o governador Jaques Wagner se disse extremamente consternado com a trágica morte do ex-governador de Pernambuco e decretou luto oficial por três dias. "Ele merece a mais elevada homenagem de todos os brasileiros. Eu, pessoalmente, perco um grande amigo. Construímos laços de profundo carinho, respeito e admiração. Em nosso último encontro, no enterro do escritor Ariano Suassuna, pude abraçá-lo. Em meu nome, em nome de minha esposa Fátima e de todas as baianas e baianos, a nossa homenagem a esse exemplo de ser humano e homem público", disse o governador.

Wagner estava em Brasília, no momento em que aconteceu o acidente, participando, na companhia da mãe de Campos, Ana Arraes, da cerimônia de posse do novo presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas.

Também o prefeito de Salvador, ACM Neto, lamentou o fato e lembrou que o Brasil está de luto. "A política, o Brasil e o Nordeste perderam um dos seus representantes mais qualificados. Como deputado, governador e ministro, Eduardo Campos sempre trabalhou pelo desenvolvimento do Brasil", afirmou o prefeito, que foi colega do ex-governador na Câmara.

Tocantins

O sentimento de dor e consternação também atingiu o Tocantins. O governador Sandoval Cardoso (SD) decretou luto oficial de três dias e emitiu nota de pesar. Diversas outras autoridades e candidatos, como o ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) e o senador Ataídes Oliveira (Pros), que concorrem com Cardoso ao Palácio Araguaia, também manifestaram o seu pesar.

"Grande líder nacional e expoente da renovação política no País, Campos deixa enorme lacuna, pois aliava seu preparo intelectual, sua capacidade de oratória, com um também perfil realizador, e principalmente, com grande carisma popular, que o faz admirado por populares em Pernambuco e em todo o País", afirmou o governador. Desejou, também, que familiares, amigos e colaboradores encontrem conforto em Deus e tenham forças "para seguir adiante e continuar levando para o Brasil suas ideias e seus propósitos de construir um País melhor".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.